Anúncios

Senador do ES, inconformado com volta de Aécio, vai dar um tempo da política

Tucano não se conforma com salvamento de Aécio e anuncia licença

O Tucano Senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) era favorável ao afastamento do correligionário: ‘Vergonha de ser político’

O Senador ficou super chateado quando viu o pelnário devolver o direito de voltar à vida pública a Aécio Neves. Mesmo sendo correligionário do corrupto, Ferraço, do PSDB do Espírito Santo, não foi à sessão de ontem e jamais escondeu escondeu que sempre foi a favor do afastamento.

Agora, ele se diz inconformado e anunciou que vai se licenciar do mandato: “Vou me licenciar do mandato. Estou com vergonha de ser político”, disse imediatamente após o Senado salvar a ovelha negra da família Neves. Para Ferraço, seus correligionários “estão fazendo exatamente aquilo que o PT fazia e nós condenávamos“. Acrescentou: “Estou fora”.

Anúncios

Aécio está de volta por 44 ‘sim’e 26 ‘não’

Por 44 votos contra as medidas cautelares determinadas pela Corte, Aécio Neves volta ao trabalho como Senador do PMDB (MG)

Outros 26 se posicionaram a favor do afastamento do Senador Aécio Neves. A votação aberta aconteceu no plenário do Senado e ficou decidida, terça-feira (17), a revogação do afastamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG) do mandato.

O tucano estava afastado da Casa desde o final de setembro, quando a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) tomou a decisão, por 3 votos a 2, com base nas investigações contra o mineiro a partir das delações premiadas de executivos do Grupo J&F. O colegiado também impôs a Aécio o recolhimento noturno, medida que, assim como a suspensão do mandato, foi derrubada no plenário do Senado.

Para que a decisão da Primeira Turma fosse revista e Aécio Neves retomasse o mandato, seria necessário que 41 dos 81 senadores votassem nesse sentido.

Veja como foi a sessão da votação:

19h39 – Eunício Oliveira encerra a votação e anuncia o resultado. Por 44 votos a 26, o Senado devolve o exercício do mandato a Aécio Neves.


19h15 – Senadores justificam seus votos ao microfone. Resultado da votação nominal ainda não saiu.


19h08 – O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) pede que o líder do PSDB, Paulo Bauer (SC), que passou mal em uma reunião com a bancada, vá ao plenário. “O senador Romero Jucá teve metade das tripas arrancadas e está aqui firme e forte”, brincou Renan, referindo-se à diverticulite que acometeu o companheiro de partido. Eunício Oliveira respondeu que o tucano está a caminho.


19h06 – O PTC encaminha voto pela volta de Aécio Neves ao Senado.


19h05 – O Pros encaminha voto pela volta de Aécio Neves ao Senado.


19h05 – A Rede Sustentabilidade encaminha voto pela manutenção do afastamento de Aécio Neves do mandato.


19h05 – O PSC encaminha voto pela manutenção do afastamento de Aécio Neves do mandato.


19h05 – O PRB encaminha voto pela volta de Aécio Neves ao Senado.


19h04 – O PDT encaminha voto pela manutenção do afastamento de Aécio Neves do mandato.


19h03 – Alvaro Dias, líder do Podemos, encaminha voto pela manutenção do afastamento de Aécio Neves do mandato.


19h02 – Otto Alencar, líder do PSD, libera a bancada do partido na votação.


19h01 – João Capiberibe, do PSB, encaminha voto pela manutenção do afastamento de Aécio Neves do mandato.


19h00 – Benedito Lira, líder do PP,  encaminha voto pela volta de Aécio Neves ao Senado.


18h59 – O PR encaminha voto pela volta de Aécio Neves ao Senado.


18h59 – Agripino Maia, líder do DEM, libera a bancada do partido para a votação.


18h58 – Humbeto Costa, líder do PT, encaminha voto pela manutenção do afastamento de Aécio Neves do mandato.


18h56 – Tasso Jereissati, presidente do PSDB, encaminha voto pela volta de Aécio Neves ao Senado.


18h55 – Raimundo Lira, líder do PMDB, encaminha voto pela volta de Aécio Neves ao Senado.


18h56 – Eunício Oliveira abre a votação. Líderes partidários farão encaminhamentos às bancadas.


18h50 – Romero Jucá diz que o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot “não tem nenhuma credibilidade” e que a delação premiada de executivos da JBS “foi montada e a cada dia se esvai”.


18h48 – “O poder guardião da Constituição não é o Supremo Tribunal Federal. O Supremo interpreta a Constituição, mas o guardião dela é quem escreve a Constituição, é quem guarda, é quem define o que deve ser feito pelos dois outros poderes”, afirma Jucá.


18h43 – Líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR) é o último a falar. Ele vai defender a derrubada das medidas cautelares contra Aécio Neves.


18h39 – Reguffe critica decisão do plenário do STF que permitiu ao Senado rever a decisão da Primeira Turma. “O Senado não deve rever uma decisão da Justiça brasileira, qualquer que seja ela. Se alguém tiver que rever a decisão, deve ser a própria Justiça”, diz o senador.


18h36 – José Reguffe (sem partido-DF) discursará a favor da decisão da Primeira Turma do Supremo.


18h34 – Para Humberto Costa, a situação do ex-senador Delcídio do Amaral, preso por tentativa de obstruir da Lava Jato, era “muito menos grave” que a de Aécio Neves.


18h33 – “O que está em jogo é o fato que, segundo a denúncia da PGR, o senador Aécio recebeu uma vantagem indevida de 60 milhões em 2014 para partidos ingressarem na coligação presidencial”, afirma Costa.


18h30 – O petista diz que o STF só impôs as medidas cautelares contra Aécio Neves porque o Senado “se omitiu” e arquivou a representação contra o tucano no Conselho de Ética da Casa.


18h28 – Senador Humberto Costa (PT-PE) é o quarto a defender as sanções contra Aécio.


18h25 – “É evidentemente que não se está aqui a decidir sobre a conduta do parlamentar, mas sobre a conduta do Parlamento”, diz Rocha, que lembra o caso do ex-senador Delcídio do Amaral, cuja prisão foi determinada pelo STF e mantida pelo Senado.


18h20 – Roberto Rocha (PSB-MA) passa a discursar contra a suspensão do mandato do tucano.


18h10 – Para Randolfe, o Senado não deve analisar a biografia de Aécio, mas as suspeitas e investigações contra ele, que levaram a Procuradoria-Geral da República (PGR) a denunciá-lo ao STF e a Primeira Turma do Supremo a afastá-lo do mandato no Senado.


18h07 – Randolfe Rodrigues (Rede-AP) é o próximo a defender as medidas cautelares aplicadas a Aécio Neves.


18h06 – Em um discurso breve, Anastasia diz que rejeitar a decisão da Primeira Turma é “garantir o direito de defesa” de Aécio e afirma que, com o afastamento dele, Minas Gerais perdeu um terço de sua representação no Senado.


18h01 – Aliado próximo de Aécio, Antonio Anastasia (PSDB-MG) assume a tribuna para argumentar contra a decisão do STF.


17h58 – A senadora lembra ter apoiado Aécio Neves na eleição de 2014, diz que é “pesaroso” votar contra um colega e que o Senado “não é um tribunal”, mas que a decisão na Casa é política.


17h55 – Ana Amélia (PP-RS) é a próxima a defender o afastamento do tucano mineiro.


17h52 – Telmário Mota continua com a palavra. Ele argumenta contra o recolhimento noturno de Aécio e diz que as sessões deliberativas no Senado “duram horas e horas e costumam varar a noite”.


17h49 – Medidas impostas a Aécio Neves são “inegável violação à Constituição brasileira”, afirma Mota.


17h45 – O petebista declara que é preciso combater a corrupção, mas que “não podemos acreditar que os fins justificam os meios”.


17h40 – Próximo senador a discursar contra o afastamento de Aécio Neves é Telmário Mota (PTB-RR).


17h38 – “Não votamos contra o senador, votamos em respeito à independência dos poderes, votamos em respeito a quem compete a última palavra em matéria de aplicação da Constituição, que é o STF, e não o Senado”, afirma Alvaro Dias.


17h34 – Dias diz que o STF “abdicou de sua competência, transferindo poderes ao Legislativo, transferindo a palavra final neste caso ao Senado”.


17h30 – Ex-tucano, o senador Alvaro Dias (PODE-PR) é o primeiro a falar a favor da sanção a Aécio.


17h23 – Jader afirma que seu voto é “pela Constituição” e classifica decisão da Primeira Turma do STF como “equivocada”. “Ministro do Supremo não é legislador. Ministro do Supremo não é poder constituinte e revisor da Constituição, é interpretador da Constituição. Quem escreve a Constituição é senador, é deputado, quem tem mandato popular. E ministro não tem mandato, com todo respeito que tenho ao Supremo Tribunal Federal”, ataca o peemedebista.


17h15 – Senador Jader Barbalho (PMDB-PA), contrário ao afastamento de Aécio, é o primeiro a falar.


17h11 – Senadores contrários e favoráveis às medidas contra o senador tucano se revezarão nos discursos.


17h10 – Na votação, o voto “sim” significará concordar com o afastamento de Aécio Neves; o voto “não” significará discordar da medida imposta pelo STF. Se nenhum dos lados atingir o número de 41 senadores, segundo Eunício Oliveira, a votação será repetida.

 

Wikileaks oferece €20 mil por pista dos assassinos da blogueira que denunciou corrupção em Malta

1

Julian Assange, do site Wikileaks, publicou uma mensagem no microblog Twitter, onde ofereceu uma recompensa de vinte mil euros por pistas dos assassinos de uma  blogueira que foi assassinada por revelar ao mundo a corrupção no governo de seu país, Malta

Assange publicou: “Indignado ao ouvir que a jornalista investigativa e blogueira maltense Daphne Caruana Galizia foi assassinada nesta tarde, não muito longe de sua casa, com uma bomba em seu carro. Ofereço recompensa de € 20k por informações convictas de seus assassinos. Seu blog: https://daphnecaruanagalizia.com”

A blogueira de Malta, conhecida por seu jornalismo investigativo, fez graves denúncias contra seu governo e foi assassinada nesta segunda-feira apoós seu veículo ter sido sabotado com uma bomba e explodido próximo à sua residência.

 

A morte de Caruana Galizia, de 53 anos, ocorre quatro meses após a vitória do Partido do atual presidene nas eleições gerais convocada por ele, após uma série de escândalos envolvendo seus aliados. A blogueira desempenhou um papel fundamental na revelação desses escândalos.

Muscat, primeiro-ministro desde 2013, adiantou em um ano as eleições depois que seu ministro da Energia, seu chefe de gabinete e até mesmo sua esposa foram acusados de terem contas em paraísos fiscais.

 

No início deste ano, a revista americana Politico colocou Caruana Galizia entre as “28 personalidades que fazem a Europa avançar”, descrevendo-a como um “WikiLeaks inteiro em uma única mulher, que realizou uma cruzada contra a falta de transparência e corrupção em Malta”.

 

Venezuela foi às urnas e o povo descobriu que a mídia os manipulava nas pesquisas

O ‘chavismo’ venceu de novo nos estados de Nicolás Maduro, contrariando pesquisas de intenção de voto fornecidas por algumas mídias locais.

Rafael Correa disse: “Com esses resultados, os venezuelanos desmascararam a manipulação da mídia”

“Com esses resultados, o povo venezuelano expõe a manipulação da mídia. É também o que espera oportunistas e traidores “, disse o líder esquerdista em sua conta no Twitter.

Por esta razão, Correa felicitou os venezuelanos e especialmente os seguidores do governo nacional. “Ele superou a Revolução Bolivariana nas eleições governamentais. Glória às pessoas corajosas! “

O presidente do Conselho Nacional Eleitoral (CNE), Tibisay Lucena, informou no domingo 15 de outubro os resultados preliminares do estado das eleições regionais de 2017.

Após três horas de contabilização, Lucena indicou que a participação total no evento eleitoral foi de 61,14% e descreveu o processo eleitoral como “rápido, transparente e de qualidade”, apesar do pouco tempo com o qual foi organizado para a realização das referidas eleições.

Mas o mundo está noticiando que o “chavismo obteve vitória polêmica nas eleições estaduais da Venezuela“. Isso porque o ‘MUD’ (Mesa de Unidade Democrática), partido de oposição ao governo chavista, declarou à comunidade internacional que havia uma diferença expressiva entre os dados do órgão eleitoral CNE (Conselho Nacional Eleitoral) e os obtidos pela oposição, no caso o PSUV (Partido Socialista Unido da Venezuela) de Nicolás Maduro.

Segundo o CNE, o governista PSUV conseguiu eleger 17 dos 23 governadores e a MUD apenas cinco. Para os opositores do governo de Maduro, que internamente diziam que triunfariam em pelo menos 14 estados, de acordo com pesquisas das mídias do país, foi cometida uma fraude à partir do Palácio Miraflores.

Continua após novos envios de informações

Homenagem ao Professor Michel Temer: PMDB fará pesquisas com os brasileiros

TEMER 2018

Eles seriam capazes de lançar essa campanha para o próximo ano?

O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) ao qual pertence o ilegítimo, usurpador e mais rejeitado presidente de todos os tempos, Michel Temer, está idealizando alguns questionários a serem introduzidos em pesquisas qualitativas que serão realizadas até o fim de 2017.

A ideia é realizar um levantamento de opiniões ainda este ano com vistas para as eleições de 2018, pois na condição de piloto do governo mais impopular que os brasileiros já testemunharam, o PMDB deseja analisar e entender o que o povo pensa sobre os mais variados assuntos.

Os temas, que variarão desde conectividade social a relacionamentos homoafetivos, trarão respostas à cúpula peemedebista inerentes à interação com o eleitorado objetivando decisões conjuntas para os melhores caminhos a serem seguidos no incógnito ano vindouro, além de que serão testados nomes eventuais para a disputa de “assentos” nos estados.

As alianças já estão sendo especuladas.

VEJA tenta envolver LULA ao escândalo das malas de dinheiro de GEDDEL

Opinião de J.R.Guzzo, revista VEJA, quer sugestionar aos leitores que os R$ 51 milhões das malas de Geddel são de LULA

Máquina anticorrupção não consegue explicar fortuna em apartamento e agora a VEJA tenta tirar proveito disso para sugerir que são do ex-presidente

%d blogueiros gostam disto: