Categoria: SAÚDE

Médicos cubanos temem pelo que acontecerá aos mais pobres, após saída do Brasil

Por Redação Urbs Magna

Os cubanos sofrem pelo que acontecerá aos brasileiros pobres. A parceria entre Cuba e o Brasil permite que cerca de 8.500 médicos cubanos que atuam no programa Mais Médicos ofereçam ajuda e atendam à milhões pessoas carentes nas regiões mais longínquas, onde a grande maioria de seus colegas brasileiros não se dispôs a ir. O fim da parceria afetará a população mais pobre do Brasil, mas também afeta os cubanos, inclusive os que moram em Cuba, segundo Jesus Rafael Mora, que já trabalhou em diversos países.

De Mais Médicos a Menos Médicos – o que antes foi conquista, agora se transformou na irresponsabilidade de um louco

Por Redação Urbs Magna

Cabe destacar, inicialmente, que o programa “Mais Médicos” era uma reivindicação de um número substancial de prefeitos e foi, na época, uma conquista dos municípios brasileiros, em resposta à campanha “Cadê o Médico?” liderada pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP). Na ocasião, evidenciávamos uma enorme dificuldade para a contratação de médicos e também para a fixação dos profissionais no interior do país, nas pequenas cidades e na periferia das grandes metrópoles

Bolsonaro deixa pobres sem médicos e recebe elogio dos EUA sinalizando total sintonia com sua política externa

Por Redação Urbs Magna

Os cerca de 8,3 mil profissionais cubanos distribuídos por cerca de 2,2 mil municípios brasileiros e que hoje fazem parte do Programa Mais Médicos começarão a deixar o Brasil com retorno ao seu país de origem dentro de dez dias. Apesar de deixar cerca de 24 milhões de brasileiros sem nenhum tipo de assistência médica, a pressão feita por Bolsonaro sobre os médicos cubanos, em um claro sinal de sintonia com a política externa norte-americana, foi elogiada pelo governo dos Estados Unidos.

Extinção do Mais Médicos é o epílogo do entreguismo iniciado no Golpe 2016 e terá seu Grand Finale na Saúde e na Educação

Por Redação Urbs Magna

O programa ‘Menos Médicos‘ de Jair Bolsonaro (PSL), que consiste em mandar embora os médicos cubanos, tem por trás uma lógica calculada, perversa e ideologicamente comprometida com o deus mercado. O Coiso pretende transferir essas duas áreas essenciais a particulares. “Defendendo voucher educação e voucher saúde para os que ficarem para trás, os que tem problemas, que não tiveram oportunidades”, explicou nesta quarta (14) Bolsonaro durante reunião com os governadores eleitos.

FIM do MAIS MÉDICOS obriga BOLSONARO a escolher entre o COMUNISMO e a INSATISFAÇÃO do POVO

Por Redação Urbs Magna

Cuba anuncia encerramento do contrato que tem com o Brasil no programa Mais Médicos. Declarou o governo da ilha em nota oficial: “O presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, com referências diretas, depreciativas e ameaçadoras à presença de nossos médicos, disse e reiterou que modificará os termos e condições do Programa Mais Médicos, desrespeitando a Organização Pan-Americana da Saúde e o que esta acordou com Cuba, ao questionar o preparo de nossos médicos e condicionar sua permanência no programa à revalidação do título e como única forma de se contratá-los a forma individual.”