“Quem votar no monstro vai fazê-lo de olhos bem abertos”, diz economista

24/10/2021 0 Por Redação Urbs Magna
“Quem votar no monstro vai fazê-lo de olhos bem abertos”, diz economista

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e o economista Rodrigo Zeidan, em fotografia de 2018, postada pelo blog Ary Ramos. O professor acredita que “no Brasil falta algo tão importante que não existe palavra em português perfeita para descrever o conceito: accountability. A primeira reação do brasileiro é: “Não fui eu q fiz.” Ou “me obrigaram a votar no monstro, por causa do PT“. Ele pede para que as pessoas “assumam suas escolhas


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

“Não venham de historinha”, pede Rodrigo Zeidan sobre “desculpa para votar” em Bolsonaro, sem mencionar seu nome

Quem votar no monstro vai fazê-lo de olhos bem abertos“, afirmou Rodrigo Zeidan – doutor em economia pela UFRJ, professor da New York University Shanghai (China) e da Fundação Dom Cabral.

De acordo com Zeidan, “a presença de Lula não “favorece” o presidente“. O economista sugere que “não deixar o PT voltar ao poder” é desculpa para votar em Bolsonaro.

Não venham com historinha” pede.

Horas antes, o economista compôs um ‘teorema‘ e o tuitou na mesma rede social. Sem citar o nome de Bolsonaro, Zeidan disse que “quanto mais incompetente o membro do governo, maior a probabilidade de querer continuar na cadeira, pois sabe q nunca sentará lá de novo“.

Ficam no governo só os “true-believers [verdadeiros crentes, em tradução livre]“, os devotos orgulhosos da extrema direita“, acrescenta.

Manchar o currículo? Não há o que ser manchado“, pontua Rodrigo Zeidan, insinuando que não há mais espaços para ainda mais manchas.

Zeidan sugeriu Lula contra Bolsonaro em artigo na Folha de S. Paulo

Apesar de considerar que “o saldo dos governos petistas é negativo“, Zeidan sugere que “se a alternativa” para a eleição presidencial de 2022 “for a barbárie“, a melhor opção será LULA e a opção do povo pelo ex-presidente novamente no Planalto conduzindo o país “não é uma escolha difícil“, pois, segundo o economista, “a extrema direita mata“.

Em artigo na Folha, Rodrigo Zeidan expôs, de forma extremamente exagerada, sua forte aversão ao PT, mesmo considerando positivo “o sucesso inicial das medidas do primeiro governo Lula” e o “maravilhoso Bolsa Família”. Ele afirmou que “em várias áreas o país melhorou, através do governo, com o governo ou apesar do governo“.

Ao comparar os governos petistas com o governo Bolsonaro, o economista diz que “o mesmo não pode ser dito pelo atual regime. Os conservadores da economia jogaram o país em estagflação, secaram o Bolsa Família, e sugaram os parcos recursos da sociedade para dar aumento aos militares. Nos falta tudo, até comida. Só sobra cloroquina“.

Assim, sobre a escolha em 2022, Zeidan pontua, objetivamente: “…se a alternativa for a barbárie, não é uma escolha difícil (…). A extrema direita mata.

Comente