Categoria: AMBIENTALISMO

Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, recebe o constrangedor troféu ‘Exterminador do Futuro’ ao vivo na Câmara por queimadas na Amazônia

Por Redação Urbs Magna

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, recebeu ao vivo na Câmara dos Deputados o “troféu de Exterminador do Futuro” por causa do desmatamento acelerado no Brasil. A devastação tem causado má repercussão no exterior. Inclusive, países europeus ameaçam boicotar produtos brasileiros

Anúncios

França se nega a assinar acordo com Mercosul, após destruição da Amazônia por Bolsonaro e repercussão da fala do Papa Francisco

Por Redação Urbs Magna

“Não podemos assinar o acordo de comércio com um país que não respeita a floresta amazônica, que não respeita o Acordo de Paris. A França não vai assinar o acordo Mercosul nestas condições”, explicou a ministra Elizabeth Borne, do governo de Emmanuel Macron, que entrou em choque com Jair Bolsonaro

“Interesse na Amazônia não é no índio nem na porra da árvore, é no minério”, diz Bolsonaro em novo ataque a Raoni

Por Redação Urbs Magna

Jair Bolsonaro afirmou que “o interesse na Amazônia não é no índio nem na porra da árvore, é no minério”. “E o Raoni fala pela aldeia dele, não fala pelos índios, não”, acrescentou ele, referindo-se ao líder indígena Raoni Metuktire

THE INTERCEPT revela, neste sábado (28), a “agenda secreta de Ricardo Salles com os destruidores do planeta” – ACESSE

Por Redação Urbs Magna

Mesmo condenado por adulterar um mapa ambiental para a festa de mineradoras, Mr. Yale segue em seu cargo no Ministério do Meio Ambiente com uma agenda que, se for levada a sério, pode acabar com a necessidade da existência do próprio ministério (porque não teremos mais meio ambiente, de todo modo)

Agronegócio pagará caro pelo discurso de Bolsonaro na ONU, diz Miriam Leitão

Por Redação Urbs Magna

“Seu discurso sobre a Amazônia não ajudou a derrubar a impressão de que está havendo falta de controle no desmatamento. Bolsonaro apenas repetiu o que vem dizendo, sem qualquer evidência e dados. O grande prejudicado com isso é o setor do agronegócio exportador, que precisa que seus clientes internacionais possam ampliar os negócios com o Brasil sem a pressão dos seus mercados consumidores”, diz a jornalista