Fátimas de Bolsonaro: as vidas que realmente importam

03/04/2020 0 Por Adriana Farias

ET URBS MAGNA – “Você pode ter certeza que você fala por milhares de pessoas“, respondeu o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) à professora que parou para falar com ele na saída do Palácio da Alvorada, na quinta-feira (02/04). No “depoimento comovente”, como o presidente define em seu microblog Twitter, a professora teria pedido “o fim do isolamento social” por entender que a medida afetava a economia do lar. Além disso, ela teria dito “não quero que o governo banque nossa vida, isso é para vagabundo”. Ela ainda pediu para o presidente colocar ‘o Exército nas ruas’ e abrir o comércio.

Esse depoimento, além de ir na contramão do que as autoridades do próprio governo e da Organização Mundial da Saúde pedem, não passou de um discurso criminoso que atenta contra a saúde pública e não representa “a fala de milhares de pessoas”.

“Além de crime contra a saúde pública, o ato de desobedecer a ordem legal de funcionário público, como regras relativas à quarentena ou fechamento de estabelecimento, pode, de maneira mais genérica, configurar crime de desobediência, previsto no artigo 330 do Código Penal e punido com pena de detenção, de 15 dias a dois anos”, conforme relatam autoridades públicas (leia aqui).

Após o discurso ao presidente, a professora foi desmascarada por um internauta em outra rede social: “Fátima Montenegro é empresária e teria mentido sobre ser professora em apuro financeiro” (leia aqui). Suas contas nas redes sociais foram encerradas, por ela mesma, por causa das intimidações, conforme entrevista concedida à Folha de São Paulo (leia aqui).

“Destruíram minha vida por causa de um vídeo”, desabafa a empresária à FSP.

A FSP apurou as empresas de Fátima Dantas Montenegro e apontou que “nos registros da Receita Federal, ela consta como sócia de duas microempresas, a ABZ Curso de Caligrafia, aberta em 1997, e a Fatima Montenegro Curso de Caligrafia, de 2010. Ambas constam como inaptas por “omissão de declarações”.

Além da mentira pega, o que impressiona é o discurso baseado no ódio e nos pretextos de ‘gente de bem’ como se os desempregados e desemparados fossem a escória da sociedade por precisarem da mísera esmola de R$ 600,00 que o governo ainda não liberou para saque.

Milhares de Fatimas, que fazem discurso de ódio, existem para o Jair Bolsonaro. E não só existem como o apoiam.

Fatimas que proclamam aos ventos das redes sociais que não vão pagar seus impostos para alimentarem “vagabundos que precisam do dinheiro do governo” é verborragia desde a implantação do Bolsa Família.

Para tantas Fatimas enraizadas na sociedade os necessitados são pessoas indecorosas, vergonhosas e condenáveis. Porque as Fatimas, e só as Fatimas, foram afetadas por essas medidas de isolamento social. Só as Fatimas têm contas a pagar. Só as Fatimas são ‘pessoas de bem’, ‘honestas’ e ‘merecedoras’ de arcar com suas responsabilidades.

E para manter as contas das Fatimas em dia, em ordem, para manter a fachada dos que reinam imponentes e soberanos, outras vidas não importam.


Assista a dois vídeos da verdadeira Fátima de Bolsonaro:


Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é ET-URBS-MAGNA-LARANJA-um2-1024x1024.png
Telegram Receba nossas Newslleters gratuitamente. Acesse e siga NOSSO CANAL
Não tem o aplicativo? ACESSE AQUI e Saiba por que o TELEGRAM é 10 vezes melhor que o WHATSAPP
Acompanhe as publicações do ET URBS MAGNA no FACEBOOK (CURTA AQUI)




𝘊𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘤𝘰𝘮 𝘴𝘦𝘶 𝘍𝘢𝘤𝘦𝘣𝘰𝘰𝘬 𝘰𝘶 𝘶𝘵𝘪𝘭𝘪𝘻𝘦 𝘢 𝘰𝘶𝘵𝘳𝘢 𝘴𝘦çã𝘰 𝘮𝘢𝘯𝘵𝘪𝘥𝘢 𝘢𝘣𝘢𝘪𝘹𝘰. 𝘖𝘴 𝘤𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦 𝘳𝘦𝘴𝘱𝘰𝘯𝘴𝘢𝘣𝘪𝘭𝘪𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘥𝘦 𝘲𝘶𝘦𝘮 𝘰𝘴 𝘱𝘶𝘣𝘭𝘪𝘤𝘢 𝘦 𝘱𝘰𝘥𝘦𝘮 𝘯ã𝘰 𝘳𝘦𝘧𝘭𝘦𝘵𝘪𝘳 𝘢 𝘰𝘱𝘪𝘯𝘪ã𝘰 𝘥𝘰 𝘴𝘪𝘵𝘦. 𝘛𝘦𝘹𝘵𝘰𝘴 𝘷𝘶𝘭𝘨𝘢𝘳𝘦𝘴 𝘦 𝘥𝘪𝘴𝘤𝘶𝘳𝘴𝘰𝘴 𝘥𝘦 ó𝘥𝘪𝘰 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦𝘴𝘯𝘦𝘤𝘦𝘴𝘴á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘱𝘢𝘳𝘢 𝘢 𝘤𝘰𝘯𝘴𝘵𝘳𝘶çã𝘰 𝘥𝘦 𝘶𝘮𝘢 𝘴𝘰𝘤𝘪𝘦𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘤𝘪𝘷𝘪𝘭𝘪𝘻𝘢𝘥𝘢. 𝘕𝘦𝘴𝘵𝘦𝘴 𝘤𝘢𝘴𝘰𝘴, 𝘳𝘦𝘴𝘦𝘳𝘷𝘢𝘮𝘰-𝘯𝘰𝘴 𝘰 𝘥𝘪𝘳𝘦𝘪𝘵𝘰 𝘥𝘦 𝘣𝘢𝘯𝘪𝘳 𝘴𝘦𝘶𝘴 𝘱𝘦𝘳𝘧𝘪𝘴.
Anúncios