Fernando Cury “responde à sociedade, às mulheres e à Justiça”, comemora Isa Penna após expulsão do partido

23/11/2021 0 Por Redação Urbs Magna
Fernando Cury “responde à sociedade, às mulheres e à Justiça”, comemora Isa Penna após expulsão do partido

A deputada Isa Penna (PSOL) e o deputado Fernando Cury (ex-Cidadania). Ao fundo, a sessão na Alesp em que ocorreu a importunação sexual do parlamentar, que se aproximou de Penna por trás e tocou-lhe os seios, sem que ela pudesse evitar | Sobreposição de imagens


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

O deputado foi expulso do Cidadania por recomendação do Conselho de Ética após quase um ano por ter importunado, com as mãos nos seios, a parlamentar do PSOL, durante sessão na Alesp

Em 2020, o deputado Fernando Cury (ex-Cidadania) foi flagrado por câmeras da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) com as mãos nos seios de Isa Penna (PSOL), que por estar de costas para ele não pôde impedir porque não percebeu sua aproximação.

Nesta segunda-feira (22/11), Cury foi expulso do partido por recomendação do Conselho de Ética. Ela comemorou dizendo que, com a decisão, espera que o parlamentar “entenda que ele não responde mais a mim e sim à sociedade, à todas as mulheres brasileiras e à Justiça!”

O parlamentar alegou o toque nos seios foi um “abraço“, um “gesto de gentileza mal interpretado“.

Dias depois do episódio, Cury foi afastado por seis meses, sem salário. A Alesp alegou descumprimento do Código de Ética da Casa, que em decisão unânime (86 deputados presentes) foi favorável à pena.

Agora, o parlamentar segue como deputado até o fim de seu mandato ou de outra decisão diferente da Alesp. A expulsão não implica em cassação. Cury também responde por importunação sexual e é réu no processo, que aguarda as considerações da defesa.

Leia a nota feita por Isa Penna em thread no Twitter

A democracia ganhou uma vitória feminista! Punho levantado. A decisão de hoje do Cidadania em expulsar Fernando Cury não respondeu a mim e muito menos a ele. O partido respondeu à todas mulheres que se sentiram assediadas junto comigo há quase um ano.

Sou uma deputada e entendo a demora desse resultado. A demora, no entanto, sempre me faz pensar mas nas mulheres que nunca verão seus assediadores sendo punidos – seja porque não há respostas efetivas das instituições. Eu seguirei na luta para que não haja espaço para outros Fernando Cury, um exemplo do que não se deve fazer nem com as câmeras televisionando tudo, nem nos corredores de ônibus, nos becos, vielas, nos espaços de trabalho e nos lares do Brasil.

Sigo com força porque a vitória de hoje é democrática e também uma vitória feminista! Afinal um homem eleito deve (ou deveria) entender que assédio é assédio. Estamos há um ano das eleições no país, que isso também reflita nos candidatos, em quem os partidos irão apoiar e principalmente que tenha igualdade de gênero nas casas legislativas do país todo.

Que ele entenda que ele não responde mais a mim e sim à sociedade, à todas as mulheres brasileiras e à Justiça!

Comente