Zambelli apaga tuítes sobre Covaxin, diz que Aziz tem ‘bunda gorda’ e vira meme no Twitter

26/06/2021 0 Por Redação Urbs Magna
Zambelli apaga tuítes sobre Covaxin, diz que Aziz tem ‘bunda gorda’ e vira meme no Twitter

Deputada bolsonarista tenta se desvincular do escândalo envolvendo a compra da vacina indiana e já excluiu 12 mensagens nas últimas horas segundo o perfil @projeto7C0, que acompanha os compartilhamentos de políticos. Cinco se relacionavam com o imunizante em voga na CPI

Deputada, a senhora não se preocupa? Queria entender como fica sua cabeça vendo a imagem do governo desmoronar“, disse o jornalista da Globo News, Renan Brites Peixoto, à deputada federal bolsonarista, Carla Zambelli, sobre postagem de vídeo em que personagens cantam “mi, mi, mi“, como resposta ao presidente da CPI Omar Aziz.

Na boa mesmo! Você veio de baixo. Vigiava banheiros em manifestação. Virou deputada. Isso é SUPERAÇÃO. Fico me perguntando como está sua cabeça“, afirmou Peixoto após classificar postagem anterior da parlamentar, direcionada a Aziz, como “baixaria” por chamá-lo de ‘bunda gorda’ da CPI.

Uma das imagens compartilhadas foi a da deputada federal segurando o microfone da Jovem Pan – mídia bolsonarista – aproximando-o ao máximo da boca de Bolsonaro. Outra foi a de Carla Zambelli no ombro de Bolsonaro, na representação de um papagaio:

imagem 1
Imagem 2 Crédito: @ddouglaspereira

“Vai precisar de muita cortina de fumaça”, diz seguidora:

O perfil @leitora_eu afirmou em resposta à Carla Zambelli: “Carla mulher, vai precisar de muita cortina de fumaça para apagar o dia de ontem hein. Te desejo boa sorte“. O perfil compartilhou uma imagem com um personagem dizedo que “a casa caiu“.

Publicações que citavam Covaxin somem do Twitter de Carla Zambelli

Em meio a suspeitas envolvendo a compra da vacina indiana Covaxin pelo governo federal, publicações da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), aliada do presidente Jair Bolsonaro, que mencionavam o imunizante sumiram de sua conta no Twitter. A informação é de levantamento do Projeto 7c0, que mantém uma conta automatizada para monitorar tuítes que desaparecem das contas de atores políticos.

Levantamento feito nesta madrugada mostra que 12 tuítes da deputada sumiram desde a última checagem, que havia sido publicada cinco dias antes. Desses, cinco citam diretamente a vacina indiana.

URGENTE: @minsaude anuncia a compra de 20 milhões de doses da vacina Covaxin, fabricada pela indiana @BharatBiotech, que exporta vacinas para 123 países!”, dizia uma das postagens, de 25 de fevereiro.

Outro tuíte, de 3 de março, dizia: “URGENTE: Vacina indiana Covaxin tem 81% de eficácia, afirma a fabricante @BharatBiotech! O Governo Bolsonaro comprou 20 milhões de doses da Covaxin, além de ter garantido 42 milhões via consórci…”.

Em outra publicação, de 5 de junho, era citada a autorização de importação excepcional da vacina pela Anvisa: “A @anvisa_oficial acaba de autorizar a importação excepcional e temporária de MAIS DUAS vacinas: a indiana Covaxin e a russa Sputnik V. A agência exigiu condicionantes para a aplicação”.

Outro tuíte enumerava as vacina já adquiridas pelo governo e um último, de 23 de junho, dizia: “O preço de exportação da Covaxin é 15-20 dólares para O M……“.

Ontem, o deputado Luís Miranda (DEM-DF) e seu irmão, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, foram ouvidos pela CPI da Covid do Senado. Após pressão dos integrantes da comissão, o deputado admitiu que o presidente Jair Bolsonaro atribuiu ao líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), as pressões pela liberação da vacina indiana Covaxin.

A cúpula da CPI anunciou que pretende comunicar o Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a possibilidade de o presidente Jair Bolsonaro ter cometido o crime de prevaricação. Isso porque, mesmo tendo sido informado de um suposto esquema de corrupção no Ministério da Saúde, o chefe do Executivo não teria levado a denúncia para a Polícia Federal (PF).


Siga no Telegram

Comente