Witzel promete detalhar relação dos Bolsonaro com as milícias em depoimento sigiloso a senadores

Os fatos são graves“, disse o ex-governador do Rio de Janeiro. “Só posso responder se a CPI adotar o procedimento do segredo de Justiça“, afirmou a Aziz

Brasil247 – O vice-presidente da CPI da Covid no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou que irá produzir um requerimento para que os senadores tenham uma sessão secreta com o ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, que deixou a comissão sem concluir seu depoimento. 

Durante a sessão desta quarta-feira (16), Witzel afirmou que somente responderá a questões sobre o envolvimento de Jair Bolsonaro no assassinato de Marielle Franco sob sigilo. 

Questionado pelo presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), sobre o porteiro do condomínio onde mora Jair Bolsonaro, que interfonou para a casa do então deputado federal para obter liberação da entrada de um dos envolvidos no crime, Witzel disse: “Há um fato que vou manter em sigilo e se houver a sessão em segredo de Justiça, vou revelar. Um fato gravíssimo. Envolve intervenção do governo federal em meu governo”.

Falando do porteiro para Aziz, o ex-governador disse: “só posso responder se a CPI adotar o procedimento do segredo de Justiça, porque os fatos são graves”. 


Siga no Telegram

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.