‘Você é o que há de mais podre nesse país’, diz torcedor que atirou copo com cerveja no ‘Véio da Havan’

O empresário Luciano Hang, dono das Lojas Havan, foi alvo de um copo contendo cerveja, atirado por um torcedor do Clube Athletico Paranaense, no estádio Arena da Baixada, em Curitiba, capital do Paraná, ocasião em que o time foi derrotado para o Clube Atlético Mineiro | Imagem reprodução


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

Hoje perdi meu emprego, estou sendo ameaçado, minha vida virou um inferno. Mas preciso dizer“, acrescentou o homem. “Gente como você eu vou enfrentar todos os dias da minha vida, até o fim

O torcedor do CAP [Clube Athletico Paranaense], que perdeu a disputa da copa do Brasil para o CAM [Clube Atlético Mineiro], que ao avistar o empresário dono nas lojas Havan, Luciano Hang, e ter o impulso de jogar um copo cheio de cerveja nele, e que foi demitido depois por esse motivo, mostra que não se arrepende da ação.

Nas redes sociais, o atleticano mandou um recado para Hang: “Você é o que há de mais podre nesse país“.

Hoje perdi meu emprego, estou sendo ameaçado, minha vida virou um inferno. Mas preciso dizer“, acrescentou o homem. “Gente como você eu vou enfrentar todos os dias da minha vida, até o fim“.

De acordo com matéria na Folha de S. Paulo, o agressor foi demitido de um escritório de advocacia após ter sido apontado como responsável pelo lançamento do copo cheio de cerveja.

Tudo aconteceu na noite de quarta-feira (15/12), no estádio de futebol curitibano Arena da Baixada.

O CAP recebeu o jogo de volta da final da Copa do Brasil e perdeu para o Atlético-MG, que levou a taça.

Luciano Hang interagia com torcedores do Athletico nas arquibancadas, quando foi alvo do copo cheio de cerveja.

Ele estava usando uma camiseta do clube de Curitiba, que é patrocinado pela Havan.

Veja abaixo e leia mais a seguir:

Originally tweeted by munirpaula (@munirpaula) on 16/12/2021

Segundo a matéria na Folha, na sexta-feira (17/12) o escritório Araúz Advogados comunicou a demissão do torcedor identificado como responsável pelo ato, o advogado Eduardo Alves.

Em nota, o escritório classificou o caso como “inaceitável“.

O Araúz Advogados vem a público para reforçar que não tolera atos de violência contra qualquer indivíduo ou instituição“, diz o texto.

Nas redes sociais, Alves escreveu que “o arremesso do copo no qual havia cerveja não foi o ato mais condizente para a situação“.

Ele também relatou ameaças, disse que sua vida “virou um inferno” e criticou a proximidade de Hang com o governo Jair Bolsonaro (PL).

Como sou uma pessoa com caráter e com boa educação, lamento e posso dizer que quase me arrependo pela deselegância de ter arremessado alguns poucos ml [mililitros] de cerveja no sr. Luciano Hang“, escreveu o advogado.

Hoje perdi meu emprego, estou sendo ameaçado, minha vida virou um inferno. Mas preciso dizer: sr. Hang, você é o que há de mais podre nesse país, e gente como você eu vou enfrentar todos os dias da minha vida, até o fim”, acrescentou.

Nas redes sociais, é grande a repercussão da informação do afastamento, pela Justiça Federal, da presidente do IPHAN [Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional], que foi indicada pelo presidente Jair Bolsonaro.

O pedido foi feito após o chefe do executivo confessar que “ripou funcionários do IPHAN” para atender o seu amigo empresário “Veio da Havan”.

O deputado federal David Miranda foi um dos que compartilharam a notícia:

Veja abaixo e leia mais a seguir:

Pedido para afastar Larissa Dutra foi feito após Bolsonaro afirmar que demitiu profissionais da instituição por paralisação em obras de loja comercial do empresário Luciano Hang.

Também, há pouco tempo, tomei conhecimento que uma obra, uma pessoa conhecida, o Luciano Hang, estava fazendo mais uma loja e apareceu um pedaço de azulejo durante as escavações. Chegou o Iphan e interditou a obra. Liguei para o ministro da pasta [e perguntei]: ‘que trem é esse?’. Porque eu não sou tão inteligente como meus ministros. ‘O que é Iphan?’, explicaram para mim, tomei conhecimento, ripei todo mundo do Iphan. Botei outro cara lá. O Iphan não dá mais dor de cabeça pra gente [risos]“, disse o presidente.

A paralisação feita pelo instituto nas obras de uma loja comercial de Hang, no Rio Grande do Sul, ocorreu no final de 2019, após um artefato arqueológico ter sido encontrado nas escavações.

A decisão deste sábado (18/12), assinada pela juíza Mariana Tomaz da Cunha, da 28ª Vara Federal do Rio de Janeiro, determina o afastamento de Larissa da presidência do Iphan até pelo menos o julgamento do mérito do caso.

Ante o exposto, diante do fato novo apresentado pelo MPF, defiro o pedido de tutela de urgência para determinar a suspensão do ato de nomeação de Larissa Rodrigues Peixoto Dutra e o afastamento de suas funções, até final julgamento do mérito da ação“, diz a decisão, conforme mostrou o g1.

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.