Vitória de LULA: Ação que o acusava de receber propina para Instituto é suspensa

Ministros do STF proibiram o uso do acordo de leniência firmado pela Odebrecht junto à Lava Jato, no caso específico que envolve o terreno do Instituto LULA

Na noite desta sexta-feira (18), por meio de plenário virtual, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal suspendeu uma ação que acusava o ex-presidente Luiz Inácio LULA da Silva de ter recebido um imóvel como suposta propina da Odebrecht.

Os ministros proibiram o uso do acordo de leniência firmado pela Odebrecht junto à Lava Jato, no caso específico que envolve o terreno do Instituto LULA, informa a colunista Bela Megale, do Globo.

Gilmar Mendes e Kássio Nunes Marques acompanharam o voto do relator, Ricardo Lewandowski, que declarou que o uso do acordo estava vedado em relação a LULA.

Edson Fachin e André Mendonça votaram pela permanência da validade da leniência, mas a maioria decidiu acompanhar o voto do relator.

A decisão favorável atendeu a um pedido da defesa de Lula, que que argumenta que a leniência da Odebrecht foi firmada fora dos canais oficiais exigidos pela lei.

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.