VÍDEO: Povos indígenas pedem socorro e denunciam ao mundo a política etnocida de Bolsonaro – ASSISTA

10/01/2019 1 Por Redação Urbs Magna

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) lançou nesta quarta-feira (9) uma campanha mundial contra a política etnocida do governo Jair Bolsonaro (PSL) fazendo um apelo à comunidade internacional.

“Pedimos apoio de toda a comunidade internacional, de pessoas ligadas aos Direitos Humanos, que possam ajudar a barrar essa medida de entregar a Funai para os evangélicos, para os ruralistas e causar um verdadeiro massacre, um etnocídio nos territórios indígenas do Brasil”, diz Karai Popygua, liderança Guarani da Terra Indígena Jaraguá.

Segundo ele, além da transferência da demarcação das terras indígenas para os ruralistas, no Ministério da Agricultura, a subordinação da Fundação Nacional do Índio (Funai) à pasta da Mulher, Família e Direitos Humanos, comandada por Damares Alves, representa um grave perigo para os povos indígenas.

“A Damares é uma pessoa que, historicamente, tem perseguido os povos indígenas. Que prega o fundamentalismo religioso, querendo impor a religião cristã aos povos indígenas do Brasil”, diz.

Chirley Pankará, parlamentar indígena Pankará, diz que Damares não representa os povos indígenas. “A representante não nos representa. Nós temos 305 povos indígenas no país, com sua diversidade de cultura, com sua espiritualidade. Vamos respeitar a cultura do povo brasileiro, respeitar os primeiros habitantes aqui do Brasil. Não vamos invadir a casa das pessoas com seus costumes, seus valores e suas realidades”.

Assista ao vídeo:

Et Urbs Magna via Revista Fórum

Receba nossas atualizações direto no seu WhatsApp – Salve nosso número em sua agenda e envie-nos uma mensagem – É GRÁTIS – ACESSE AQUI

Doe ao Et Urbs Magna

𝙲𝙾𝙽𝚃𝚁𝙸𝙱𝚄𝙰 𝚌𝚘𝚖 𝚘 𝚅𝙰𝙻𝙾𝚁 𝚀𝚄𝙴 𝙳𝙴𝚂𝙴𝙹𝙰𝚁 (O valor está expresso em Dólar americano) Para alterar o valor a contribuir, basta alterar o MULTIPLICADOR na caixa correspondente 𝐀 𝐩𝐚𝐫𝐭𝐢𝐫 𝐝𝐞 𝐔𝐒𝐃 $ 5 até o limite que desejar

$5.00

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.