[Vídeo] Bolsonaro espalha fake news de que após 2ª dose a AIDS é desenvolvida “muito mais rápido”, em 15 dias

23/10/2021 1 Por Redação Urbs Magna
[Vídeo] Bolsonaro espalha fake news de que após 2ª dose a AIDS é desenvolvida “muito mais rápido”, em 15 dias

O presidente da República Federativa do Brasil, Jair Bolsonaro, em foto de Evaristo Sa / AFP. Ao fundo, a renderização do vírus HIV no sangue, de autoria do designer ucraniano Alexey Kashpersky, vencedor de um concurso de 2013, cujo tema era o lentivírus que está na origem da AIDS (Acquired Immunodeficiency Syndrome) | Sobreposição de imagens


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

No mesmo dia, o presidente disse que “o uso de máscaras foi o responsável pela maioria das mortes na epidemia de gripe espanhola em 1918”

O presidente da República, Jair Bolsonaro, “espalha fake news de site de teoria da conspiração dizendo que pessoas que tomam as duas doses desenvolvem AIDS muito mais rápido, 15 dias depois“, afirmou o perfil no Twitter @metheusagostin. De acordo com o portal Brasil 247, ele se baseou em uma fake news espalhada pelo site conspiracionista beforeitnews.com, cujas matérias afirmam que vacinas rastreiam vacinados e que, por isso, milhões estão desenvolvendo a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida.

O g1 esclarece que uma publicação de um site do Reino Unido, que propaga ‘fake news’ e teorias da conspiração, inventou toda a história e, agora, Bolsonaro a está divulgando.

A matéria do jornal brasileiro aponta que “as vacinas contra a Covid-19 não causam Aids“, sendo “a Aids causada pelo HIV“, conforme disse Zahraa Vindhani, um oficial de comunicações da Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido.

A matéria mentirosa do site inglês diz que a queda da eficácia da vacina se deve a uma queda da imunidade porque o seu sistema imune está se deteriorando pelas vacinas.

A professora titular na Universidade Paulista, Letícia Sarturi, afirma que isso “não faz nenhum sentido“.

O primeiro absurdo, segundo ela, é “porque a queda da imunidade com o decorrer do tempo é natural. Isso vai acontecer, não só para vacina de Covid, mas para qualquer vacina, para qualquer tipo de imunidade contra infecção“.

Sarturi prossegue explicando que “com o decorrer do tempo, a imunidade vai ser menor, vai diminuindo. As vacinas contra a Covid provocam a imunidade e a gente tem visto que os níveis de anticorpos começam a se reduzir geralmente pelo sexto mês, ou sétimo, depende muito da vacina“.

Porém, as células que respondem, as células de memória, elas continuam ali presentes. Então, isso é um fato importante, porque isso ainda continua garantindo uma certa proteção, uma certa imunidade, por um tempo“, diz.

A gente está entrando, por exemplo, na terceira dose para idosos porque essa redução no nível de anticorpos pode comprometer, sim, a imunização dos idosos. Isso é natural. É natural que a imunidade se ative, que forme células de memória e, com o decorrer do tempo, fatores solúveis como os anticorpos, que estão diluídos no sangue, diminuam, se depurem“, disse a professora.

Então a gente espera, sim, que com o decorrer do tempo a pessoa tenha uma redução nesses fatores associados à imunidade. Porém, falar que você está perdendo, deteriorando seu sistema imune sem nenhuma prova”.

Ali [no texto] não se prova nada, tem porcentagens colocadas em uma tabela e não tem nenhum experimento, não tem nenhum gráfico experimental usando algum tipo de metodologia, não tem nenhum tipo de aprovação de comitê de ética ou qualquer tipo de desenho, delineamento do experimento para a gente ver como é que foi conduzido isso para se chegar, de fato, a esses dados, aponta Sarturi.

Parecem uns cálculos retirados aleatoriamente. Me parece uma coisa muito de opinião, muito subjetivo”. Isso porque, de fato, tal estudo jamais foi feito“, conclui Sarturi.

Mais fake news no mesmo dia

O presidente Jair Bolsonaro também afirma, no mesmo dia, que o uso de máscaras foi o responsável pela maioria das mortes na epidemia de gripe espanhola em 1918“, conforme também apontou o mesmo perfil no Twitter, com trecho do vídeo editado.

Ele “cita uma fake news envolvendo o Dr. Fauci num estudo que ele não coautorou (sic)”.

Comente