“Vão ter que me matar para vacinar meus filhos”, diz deputado em live com Nise Yamaguchi

A médica oncologista Nise Yamaguchi, defensora da cloroquima e suspeita de ser membro do ‘gabinete paralelo’, e também pré-candidata ao Senado Federal por São Paulo, e, ao lado, Diego Alexsander Gonçalo Paula Garcia, que além de deputado federal pelo Podemos-PR, é administrador, casado com dois filhos | Sobreposição de imagens


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

O vídeo reúne parlamentares que participam de grupos antivacina e tentam barrar início da campanha. “Meu filho não tomou a vacina e teve covid com alto grau de risco”, confessou outro deputado

Vão ter que me matar para vacinar meus filhos”, afirmou o deputado federal Diego Garcia (Podemos-PR), durante uma live que teve participação da doutora Nise Yamaguchi, a médica que aconselhou Bolsonaro, é defensora da cloroquina e depôs na CPI da Covid pela suspeita de integrar o chamado gabinete paralelo, que supostamente assessorava o presidente nas tomadas de decisão durante a pandemia.

No vídeo abaixo, compartilhado por SamPancher/Metrópoles, parlamentares participam de grupos antivacina e tentam barrar o início da campanha de vacinação para crianças de 5 a 11 anos de idade.

Meu filho não tomou a vacina e teve covid com alto grau de risco”, confessou outro deputado.

Nas imagens, o podemista afirmou que seus filhos não tomaram a vacina e que já falou para o Secretário de Saúde de Londrina – PR, onde reside:

Só passando por cima do meu cadáver vai vacinar os meus filhos“, disse na live.

Vão ter que me matar; vão ter que tirar minha vida”, prosseguiu o parlamentar, que acrescentou em seguida que está disposto a perder o mandato.

Ninguém vai impor a vacinação desse experimento junto de meus filhos“, disse.

Em hipótese alguma“, pontuou, sendo seguido pelo general Girão (PSL-RN), que afirmou, inacreditavelmente, “eu fui cobaia, agora não quero que as minhas netas sejam. Eu já tenho cinco netos”.

A minha nora, que teve um bebê aí, há cinco dias, ela não foi vacinada porque foi uma determinação da família, praticamente“, disse.

“Não se vacine, porque a gente não sabe o que vai acontecer”, recomendou Girão.

Com isso, meu filho também não tomou a vacina e acabou pegando um covid em alto grau de risco“, prosseguiu em uma frase totalmente sem sentido.

Veja abaixo e leia mais a seguir:

Originally tweeted by Metrópoles (@Metropoles) on 02/01/2022.

De acordo com o portal da Fiocruz, na terça-feira (28/12), uma nota técnica que ratifica e enfatiza a importância da vacinação contra a Covid-19 em crianças.

A publicação, embasada em estudos e critérios científicos, ressalta que a imunização da faixa etária de 5 a 11 anos vai colaborar com a mitigação de formas graves e óbitos por Covid-19 nesse grupo, reduzirá a transmissão do vírus e será uma importante estratégia para que as atividades escolares retornem ao modo presencial.

A vacinação em crianças da referida faixa etária foi autorizada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), no dia 16.

A aprovação se deu após a realização de testes pré-clínicos e ensaios clínicos em diferentes fases e da utilização do imunizante nessa faixa, conforme ocorreu também em outros países.

Comente

2 comentários em ““Vão ter que me matar para vacinar meus filhos”, diz deputado em live com Nise Yamaguchi”

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.