TSE divulga nota descartando fraude no processo eleitoral após ataque ao sistema em 2018

05/08/2021 0 Por Redação Urbs Magna
TSE divulga nota descartando fraude no processo eleitoral após ataque ao sistema em 2018

Bolsonaro convocou live na semana passada prometendo apresentar provas de fraudes, mas reconheceu apenas ter “indícios de irregularidades”

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou nota nesta quinta-feira na qual traz esclarecimentos sobre o inquérito da Polícia Federal que apura ataque ao seu sistema interno, ocorrido em 2018, e descarta qualquer tipo de fraude no processo.

O acesso indevido, alvo da investigação, não representou “qualquer risco à integridade das eleições” daquele ano, uma vez que, após sucessivas verificações e testes no código-fonte nada de anormal foi identificado, segundo o TSE.

O presidente Jair Bolsonaro chegou a convocar live na semana passada sob o argumento de que apresentaria provas de que houve fraudes nas eleições de 2018, mas reconheceu apenas ter “indícios de irregularidades”.

“O programa simplesmente não roda se vier a ser modificado”, explicou o tribunal, ao acrescentar que as urnas eletrônicas “jamais entram em rede” e, pelo fato de não serem conectadas à internet, não são passíveis de acesso remoto. Isso “impede qualquer tipo de interferência externa no processo de votação e apuração”.

Dito isso, a nota do tribunal reforça que a invasão investigada pela PF não teve qualquer impacto sobre o resultado das eleições. E acrescenta que desde 2018, com mudanças no cenário mundial de cybersegurança, “novos cuidados e camadas de proteção foram introduzidos para aumentar a segurança dos demais sistemas informatizados”.

O TSE esclarece que ele próprio encaminhou à PF as informações necessárias à apuração dos fatos e que a investigação nunca comunicou o tribunal sobre qualquer elemento indicativo de fraude. Por fim, o tribunal informa que os sistemas usados nas eleições de 2018 estão disponíveis na sala-cofre para os interessados, que podem analisar tanto o código-fonte quanto os sistemas lacrados.

Segundo a instituição, o episódio foi divulgado em veículos de comunicação diversos à época do ocorrido e, embora seja objeto de inquérito sigiloso, não se trata de informação nova.

Valor Econômico

Comente