The Guardian culpa a JBS de ajudar crimes ambientais na Amazônia por comprar gado de ‘fazendas proibidas’

27/07/2020 0 Por Redação Urbs Magna

“O Brasil precisa limpar seu ato com relação à rastreabilidade do gado, ou certamente as nações terão que agir diante de possíveis violações flagrantes”, disse deputado europeu

O jornal inglês The Guardian culpa a JBS pelo desmatamento por compra de gado de ‘fazenda proibida’. “Novas evidências parecem conectar a JBS, a maior empresa de carnes do mundo, ao gado fornecido de uma fazenda na Amazônia brasileira, que está sob sanção por desmatamento ilegal“, publicou a mídia nesta segunda (27) enfatizando que á a quinta vez em um ano que surgem alegações de conexão da empresa neste sentido.

O TG diz que as empresas brasileiras de carne bovina alegam que manter o desmatamento fora de suas cadeias de suprimentos é muito difícil por conta dos “fornecedores indiretos”, ou seja, fazendas onde o gado nasce vendem para outras onde ele é engordado e que depois vendem para outras fazendas ou para matadouros. 

A reportagem do jornal afirma que descobriu fotografias tiradas por um motorista de caminhão da JBS transportando gado de uma fazenda sob embargo após multa por desmatamento e aponta, baseada em investigações do próprio The Guardian, do Bureau of Investigative Journalism e Réporter Brasil, bem como o Greenpeace e o Anistia Internacional, que a empresa estaria comprado regularmente gado de fornecedores não autorizados por conta de crimes ambientais, como incêncios florestais ocorridos entre 2018 e 2019, e cujos proprietários teriam sido multados.

O jornal acusa a JBS de estar transportando animais de fazendas ilegais para outras fazendas legalizadas para driblar a proibição. A JBS contesta e, segundo o The Guardian, teria afirmado que “possuem sistema de referência cruzada com mapas das propriedades rurais analisadas pelo Ibama e que o gado não estava dentro de nenhuma área embargada”.

“A JBS está trabalhando em estreita colaboração com os departamentos do governo nacional e local para desenvolver soluções e melhorias de sistema em torno da rastreabilidade da cadeia de suprimentos e das melhores práticas agrícolas para erradicar o desmatamento. Os interesses de todas as partes interessadas estão alinhados neste tópico”, respondeu a JBS.

“Os fornecedores diretos da JBS poderiam verificar de maneira muito simples e sem custos o status ambiental dos fornecedores indiretos da empresa”, afirmou. “O rastreamento de toda a cadeia de suprimentos de carne, embora seja uma tarefa complexa, pode ser alcançado a médio prazo”.

Mas os europeus contestam:

“O Brasil precisa limpar seu ato com relação à rastreabilidade do gado, ou certamente as nações terão que agir diante de possíveis violações flagrantes. Em toda a Europa existe um sistema de rastreamento de gado, para que as pessoas saibam onde nascem os bezerros e possam ser rastreados durante a vida”, disse o deputado britânico Angus MacNeil.

Leia a matéria completa no The Guardian.

Junte-se a 37.113 outros assinantes

Telegram: Acesse e SIGA NOSSO CANAL

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.