“Tentaram cercar a Rússia e atacá-la com armas nucleares. Essa é a consequência”, disse Maduro

O presidente da Venezuela acrescentou que a “responsabilidade” do conflito na Ucrânia é “daqueles que não cumpriram os Acordos de Minsk

O presidente da República Bolivariana da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesta quarta-feira (9/3) que por culpa “daqueles que tentaram cercar a Rússia e atacá-la com armas nucleares, aqueles que anunciaram que a Ucrânia teria armas nucleares voltadas para a Rússia”, está acontecento o “conflito armado“. O líder do país vizinho disse ainda que “é responsabilidade daqueles que não cumpriram os Acordos de Minsk [ assinado na capital da Bielorrúsia por representantes da Ucrânia, Rússia, República Popular de Donetsk (DNR), e República Popular de Lugansk (LNR) para encerrar a guerra no leste da Ucrânia, em 5 de setembro de 2014]”.

O presidente da Venezuela também denunciou que há um “cerco militar da OTAN [Organização do Tradado do Atlântico Norte]” contra a Rússia. “Há uma guerra na fronteira da Rússia por causa daqueles que quebraram os acordos da Europa, do Ocidente e da OTAN com os russos“..Além disso, Maduro reiterou que a guerra econômica que estão travando contra a Rússia também está sendo travada contra a Venezuela.

A OTAN, ou NATO [North Atlantic Treaty Organization], com sede em Bruxelas – Bélgica, é uma aliança militar intergovernamental cujo tratado foi assinado em 4 de abril de 1949, constituindo um sistema de defesa coletiva em que seus cerca de 30 Estados-membros concordam com a defesa mútua em resposta a um ataque por qualquer entidade externa à organização.

De acordo com o Sputnik, o discurso foi transmitido pelo canal estatal da Venezuela, quando Nicolás Maduro falou sobre a operação militar especial da Rússia na Ucrânia e, em diversas ocasiões, manifestou apoio ao presidente russo Vladimir Putin.

Tropas de combate da Noruega reforçam OTAN em Kaunas, Lituânia, 27 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 09.03.2022
Tropas de combate da Noruega reforçam OTAN em Kaunas, Lituânia, 27 de fevereiro de 2022 © REUTERS / Janis Laizans

Vários países estabeleceram sanções contra Moscou, que incluem a desconexão parcial da Rússia do sistema SWIFT, o fechamento do espaço aéreo de suas companhias aéreas, a paralisação das reservas internacionais de seu Banco Central e, no caso de países como os Estados Unidos e o Reino Unido, o embargo à importação de petróleo russo. O SWIFT é uma plataforma que conecta cerca de 11.000 instituições financeiras em mais de 200 países e serve como base do sistema financeiro internacional.

Em 24 de fevereiro, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou o lançamento de uma “operação militar especial” no território da Ucrânia, alegando que as repúblicas de Donetsk e Lugansk haviam solicitado ajuda após inúmeras agressões de Kiev. Um dos objetivos fundamentais desta operação, segundo Putin, é “a desmilitarização e desnazificação” da Ucrânia.

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.