Sergio Moro é delatado e pode cair, diz a Veja – Ministro anda com membros de organizações criminosas

18/02/2019 4 Por Redação Urbs Magna

A revista Veja revela que o ministro da Justiça, Sérgio Moro, está no bico do corvo por andar com más companhias. A publicação da Abril faz uma “vacina” antecipando-se ao chumbo grosso que vem aí contra o ex-juiz da lava jato.

O pivô da crise é o empresário Fábio Aguayo (de camisa preta), dirigente do Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba (SindiAbrabar). Ele é amigo de Moro daqueles que arruma ingresso para shows e reserva mesas em bares badalados na capital paranaense para o agora ex-juiz.

O desatento Moro, vez ou outra, deixa se fotografar com membros de ‘organizações criminosas’ — adjetivo que ele e alguns procuradores costumam usar contra desafetos políticos.

Em 2017, Moro apareceu em fotografia ao lado de dois funcionários do Ministério do Trabalho que posteriormente foram presos pela Polícia Federal sob acusação de vender cartas sindicais (autorização para funcionamento de sindicatos).

Sobre os moços presos pela Operação Registro Espúrio — Renato Araújo Júnior (à dir.) e Leonardo Cabral Dias (à esq.) — a Veja, comportando-se como advogada, jura que “Moro só conheceu [os galalaus] na hora da foto”.

O diabo é que em depoimento, Cabral disse à PF que só concedeu registro sindical ao SindiAbrabar porque Moro interveio pessoalmente para conseguir a carta sindical para o amigo de festas.

“Cabral diz que o registro do SindiAbrabar só foi deferido depois de intervenção direta de Moro”, conta a Veja, que ainda relata a tentativa de Aguayo regularizar a entidade havia cinco anos no Ministério do Trabalho. “Foi quando Sergio Moro teria ligado para o ministério, pedindo em favor do amigo a Cabral, que coordenava o setor de registros sindicais”, prossegue a reportagem. “O ex-servidor conta que a carta de autorização foi concedida logo depois.”

Portando-se como procuradora de Moro, a Veja ainda profetiza que advogados e parlamentares estão armando a cama de gato para o ministro da Justiça.

Aguayo reclamou à Veja que “a turma do PT ficou em cima da gente” e o festeiro Moro negou aos repórteres da editora Abril que tenha pedido ou falado com os moços presos pela PF.

O PT instigado acerca do tema, por sua vez, foi bastante lacônico em relação às suspeitas que recaem sobre Moro: “diga-me com quem andas e eu te direi quem tu és”.

Et Urbs Magna via RevistaVeja / BlogDoEsmael

Receba nossas atualizações direto no seu WhatsApp – Salve nosso número em sua agenda e envie-nos uma mensagem – É GRÁTIS – ACESSE AQUI

Doe ao Et Urbs Magna

𝙲𝙾𝙽𝚃𝚁𝙸𝙱𝚄𝙰 𝚌𝚘𝚖 𝚘 𝚅𝙰𝙻𝙾𝚁 𝚀𝚄𝙴 𝙳𝙴𝚂𝙴𝙹𝙰𝚁 (O valor está expresso em Dólar americano) Para alterar o valor a contribuir, basta alterar o MULTIPLICADOR na caixa correspondente 𝐀 𝐩𝐚𝐫𝐭𝐢𝐫 𝐝𝐞 𝐔𝐒𝐃 $ 5 até o limite que desejar

$5.00

𝘊𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘤𝘰𝘮 𝘴𝘦𝘶 𝘍𝘢𝘤𝘦𝘣𝘰𝘰𝘬 𝘰𝘶 𝘶𝘵𝘪𝘭𝘪𝘻𝘦 𝘢 𝘰𝘶𝘵𝘳𝘢 𝘴𝘦çã𝘰 𝘮𝘢𝘯𝘵𝘪𝘥𝘢 𝘢𝘣𝘢𝘪𝘹𝘰. 𝘖𝘴 𝘤𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦 𝘳𝘦𝘴𝘱𝘰𝘯𝘴𝘢𝘣𝘪𝘭𝘪𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘥𝘦 𝘲𝘶𝘦𝘮 𝘰𝘴 𝘱𝘶𝘣𝘭𝘪𝘤𝘢 𝘦 𝘱𝘰𝘥𝘦𝘮 𝘯ã𝘰 𝘳𝘦𝘧𝘭𝘦𝘵𝘪𝘳 𝘢 𝘰𝘱𝘪𝘯𝘪ã𝘰 𝘥𝘰 𝘴𝘪𝘵𝘦. 𝘛𝘦𝘹𝘵𝘰𝘴 𝘷𝘶𝘭𝘨𝘢𝘳𝘦𝘴 𝘦 𝘥𝘪𝘴𝘤𝘶𝘳𝘴𝘰𝘴 𝘥𝘦 ó𝘥𝘪𝘰 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦𝘴𝘯𝘦𝘤𝘦𝘴𝘴á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘱𝘢𝘳𝘢 𝘢 𝘤𝘰𝘯𝘴𝘵𝘳𝘶çã𝘰 𝘥𝘦 𝘶𝘮𝘢 𝘴𝘰𝘤𝘪𝘦𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘤𝘪𝘷𝘪𝘭𝘪𝘻𝘢𝘥𝘢. 𝘕𝘦𝘴𝘵𝘦𝘴 𝘤𝘢𝘴𝘰𝘴, 𝘳𝘦𝘴𝘦𝘳𝘷𝘢𝘮𝘰-𝘯𝘰𝘴 𝘰 𝘥𝘪𝘳𝘦𝘪𝘵𝘰 𝘥𝘦 𝘣𝘢𝘯𝘪𝘳 𝘴𝘦𝘶𝘴 𝘱𝘦𝘳𝘧𝘪𝘴.
Anúncios