Sérgio Camargo debocha da Consciência Negra enquanto redes sociais comemoram a data

Imagem da professora e filósofa socialista ativista americana Angela Yvonne Davis com sua famosa frase sobre ‘RAÇA’. Ao lado, o presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

O presidente da Fundação Palmares, entidade que deveria promover a afro-brasilidade, ironizou com “sugestões para dar credibilidade à data: …Mente Negra Escravizada pela Esquerda, … Culto ao Ressentimento pelo PassadoVitimização do NegroLuta pela Divisão Racial do Povo

Sérgio Camargo, o presidente da Fundação Palmares – entidade de promoção da afro-brasilidade, debochou, em pleno Dia da Consciência Negra, da data comemorativa para a reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira, ao afirmar, no Twitter, como “sugestões para dar credibilidade à data“, que em 20 de novembro dever-se-ia celebrar a “Mente Negra Escravizada pela Esquerda” ou o “Culto ao Ressentimento pelo Passado” ou a “Vitimização do Negro” ou ainda a “Luta pela Divisão Racial do Povo”.

A data de hoje, escolhida por coincidir com o dia atribuído à morte de Zumbi dos Palmares em 1695, lembra de um dos maiores líderes negros do Brasil que lutou pela libertação do povo contra o sistema escravista. O Dia da Consciência Negra é considerado importante no reconhecimento dos descendentes africanos e da construção da sociedade brasileira. A data, dentre outras coisas, suscita questões sobre o racismo, discriminação, discriminação, igualdade social, inclusão de negros na sociedade e a cultura afro-brasileira, assim como a promoção de fóruns, debates e outras atividades que valorizam a cultura africana.

Camargo escreveu em seu tuíte: “Sugestões para dar credibilidade à data, já que consciência não tem cor: Dia da Mente Negra Escravizada pela Esquerda, ou Dia do Culto ao Ressentimento pelo Passado. Opcionalmente, Dia da Vitimização do Negro. Considerem tmb Dia de Luta pela Divisão Racial do Povo. Por nada“.

Veja abaixo e leia mais a seguir:

A Fundação Cultural Palmares foi instituída pela Lei Federal nº 7.668, de 22 de agosto de 1988 que traz já no artigo 1º que a entidade destina-se a “promover a preservação dos valores culturais, sociais e econômicos decorrentes da influência negra na formação da sociedade brasileira

Seu Estatuto, aprovado pelo Decreto nº 418, de 10 de janeiro de 1992, tem como missão os preceitos constitucionais de reforços à cidadania, à identidade, à ação e à memória dos segmentos étnicos dos grupos formadores da sociedade brasileira, além de fomentar o direito de acesso à cultura e à indispensável ação do Estado na preservação das manifestações afro-brasileiras.

Além disso, o artigo 215 da Constituição Federal de 1998 assegura que o “Estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das manifestações culturais populares, indígenas e afro-brasileiras, e de outros grupos participantes do processo civilizatório nacional“.

A Fundação Cultural Palmares porta, desde 2005, a insígnia da Ordem de Rio Branco, que foi concedida pelo então presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva.

A Consciência nas redes

No Twitter, publicações com menções à data mostram o contraste com as declarações de Sérgio Camargo.

O economista, pesquisador e professor Marcio Pochmann compartilhou a imagem de uma frase da professora e filósofa socialista americana Angela Yvonne Davis, que ficou famosa mundialmente na década de 1970 por seu ativismo como integrante do Partido Comunista e dos Panteras Negras, por sua militância pelos direitos das mulheres e contra a discriminação social e racial.

Davis disse, estendendo o conteúdo informado por Pochmann, que “é preciso compreender que classe informa a raça. Mas raça, também, informa a classe. E gênero informa a classe. Raça é a maneira como a classe é vivida. Precisamos refletir bastante para perceber as intersecções entre raça, classe e gênero, de forma a perceber que entre essas categorias existem relações que são mútuas e outras que são cruzadas. Ninguém pode assumir a primazia de uma categoria sobre as outras.

Veja abaixo e leia mais a seguir:

O Partido dos Trabalhadores São Paulo não ficou de fora da comemoração e convocou para um encontro em frente ao Masp, na Paulista:

“Bom dia! Hoje é #DiadaConscienciaNegra e em São Paulo e nosso ponto de encontro para lutarmos contra o racismo e pedirmos #ForaBolsonaroRacista na 18 ° Marcha da Consciência Negra é partir das 12h, na av. Paulista em frente ao Masp”, tuitou a regional do partido:

Veja abaixo e leia mais a seguir:

A página oficial do ‘Brasileirão Série B’ também demonstrou sua ‘consciência negra’:

Juntos por um futebol antirracista“, escreveu na mensagem:

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.