Sabotado por Bolsonaro, Moro se queixa dos cortes de gastos – crescem os rumores sobre sua demissão


Sabotado por Jair Bolsonaro, que interveio na Polícia Federal e o no Coaf, o ministro Sergio Moro agora também se queixa dos cortes de gastos determinados por Paulo Guedes e afirma que as ações da Justiça podem ser inviabilizadas, no momento em que crescem os rumores sobre sua demissão


Os problemas de Sergio Moro no governo não se resumem apenas à intervenção de Jair Bolsonaro na superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro com a finalidade de blindar o clã Bolsonaro. Ele também encaminhou ofício ao ministro da Economia, Paulo Guedes, no qual reclama do orçamento disponibilizado para a pasta em 2020. Segundo reportagem de Manoel Ventura, no Globo, ele afirma que o montante reservado irá resultar em um “alarmante cenário de inviabilização de políticas públicas de segurança, cidadania e justiça essenciais para a sociedade brasileira”, e pede mais recursos para as ações do ministério.



“Moro afirma que o valor disponibilizado para o Ministério da Justiça e Segurança Pública no próximo ano “gera preocupação quanto à viabilidade de implementação” das ações da pasta, como operações da Polícia Federal (PF), da Polícia Rodoviária Federal (PRF), mobilização da Força Nacional de Segurança Pública, emissão de passaporte, ações de combate ao tráfico de drogas, combate ao crime organizado, à corrupção e à lavagem de dinheiro”, aponta o jornalista.

Ou seja: Moro tem mais motivos para deixar o govenro, no momento em que se avolumam rumores sobre sua eventual demissão.

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.