Regina Duarte posta “sincero pedido de desculpas à memória de D. Marisa Letícia e à sua família” e Lula responde: “Aos poucos, a mentira e o ódio serão reparados com verdade e justiça”

08/05/2021 0 Por Redação Urbs Magna
Foto: Isac Nóbrega/PR

Uma decisão judicial condenou a atriz a se retratar sobre publicação nas redes sociais. Ela o fez e disse que considera “a sentença do Juiz Manuel Eduardo Pedroso Barros paradigmática e exemplar no que remete à defesa da liberdade de expressão e também reveladora sobre o perigo das fake news em nossa sociedade”

A atriz Regina Duarte postou um pedido de desculpas a Lula e família após uma sentença da 12ª Vara Cível de Brasília condená-la à retratação pública. A determinação atendeu a um pedido do ex-presidente Lula e dos filhos do casal.

Regina Duarte fez a publicação com informações equivocadas em abril de 2020, quando ela ainda era secretária especial de Cultura do governo de Jair Bolsonaro.

Após a retratação da atriz, o ex-presidente Lula afirmou que “aos poucos, a mentira e o ódio serão reparados com verdade e justiça“.

Nas redes sociais, usuários afirmam que Regina Duarte só pediu desculpas publicamente porque foi condenada a fazê-lo. Do contrário, jamais o faria.

Leia a seguir:

“No dia 11 de April de 2020, reproduzi no meu Instagram uma informação sobre o inventário do património da falecida D. Marisa Letícia Lula da Silva que apesar de ter sido obtida de fontes oficiais públicas e amplamente divulgada por meios de comunicação, veio posteriormente a revelar-se errada e eventualmente corrigida pelos orgãos judiciais relevantes.

Assim que tomei conhecimento de que a informação partilhada estava incorreta, apaguei voluntária e prontamente a postagem do meu Instagram.

Nunca foi minha intenção divulgar uma inverdade ou propagar fake news. Infelizmente, neste caso, fui induzida a erro e quero por isso estender, pelo sucedido, um sincero pedido de desculpas à memória de D. Marisa Letícia e a sua familia.

Quero também esclarecer que se me mantive em silêncio sobre este assunto durante o último ano, foi porque um processo judicial sobre a publicação estava decorrendo. Tive então que aguardar pela sentença que agora foi publicada e que partilharei em sua integralidade na próxima postagem.

Enquanto cidadã brasileira e acérrima defensora de um Estado democrático e plural, considero a sentença do
Juiz Manuel Eduardo Pedroso Barros paradigmática e exemplar no que remete à defesa da liberdade de expressão e também reveladora sobre o perigo das fake news em nossa sociedade.

Quero também partilhar alguns trechos da sentença que acho relevantes:

“(…)No momento da postagem a parte ré não tinha como ter conhecimento da falsidade da informação, pois não desmentida a tempo por quem quer que seja. (…)”

“(..)Saliente-se que tão logo a ré teve a ciência , divulgou uma informação que se mostrou não ser verdadeira e tratou de apagar a postagem, o que demonstra que não tinha a intenção de, deliberadamente, divulgar fake news.(…)”

Finalizo agora, reiterando os meus sinceros pedidos de desculpas a quem eventualmente eu possa ter ofendido.

Em meu próximo post compartilho com vocês a respeitável sentença”.

Comente