Pinochet vendia cocaína para a Europa e EUA nos anos 80

26/06/2018 0 Por Redação Urbs Magna

O ditador chileno, citado diversas vezes como exemplo por Bolsonaro, organizou, com seu filho Marco Antonio, uma enorme rede de produção e distribuição para venda da droga

A fortuna de US$ 26 milhões do ditador Augusto Pinochet também cresceu com a venda de cocaína para a Europa e os EUA, disse um ex-assessor do general segundo reportagem de Jonathan Franklin ao The Guardian.

De acordo com Contreras, que já foi aliado de Pinochet e agora um inimigo feroz, o ditador deu orgens para que o exército construísse um laboratório clandestino de cocaína em Talagante, uma cidade rural que fica a 38 quilômetros de Santiago. Lá, ele tinha químicos misturando cocaína com outros produtos para produzir o que Contreras descreveu como uma “cocaína negra” capaz de ser contrabandeada por agentes de drogas nos EUA e na Europa.

Em testemunho enviado ao juiz chileno Claudio Pavez, Manuel Contreras alega que Pinochet e seu filho Marco Antonio organizaram uma enorme rede de produção e distribuição para venda de cocaína direcionada ao continente europeu e aos EUA em meados dos anos 80.

Os detalhes do testemunho de Contreras foram publicados primeiro no jornal chileno La Nación. A fortuna de Pinochet, acumulada durante o governo de 1973-1990 do ditador, agora está estimada em cerca de US$ 26 milhões e é investigada tanto no Chile quanto nos EUA e na Europa.

Pinochet negou as acusações. Seu filho também negou as acusações e disse que processaria o ex-chefe de inteligência que chama de “mentiroso” e “monstro”.

Comente