Paulo Freire é homenageado pelo Google no mundo inteiro

19/09/2021 1 Por Redação Urbs Magna
Paulo Freire é homenageado pelo Google no mundo inteiro

Doodle do Google comemora o aniversário de 100 anos do patrono da Educação do Brasil em todas as suas páginas de pesquisa ao redor do planeta. O filósofo é o mais citado no mundo em assuntos sobre o tema devido às suas propostas de uma educação libertadora e conceitos como a “pedagogia da autonomia” e a “pedagogia do oprimido”. Mas Freire tem sido alvo frequente de bolsonaristas, que foram classificados como semianalfabetos e estúpidos por sites progressistas | Sobreposição de imagens


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

A imagem do patrono da Educação, alvo frequente de bolsonaristas classificados como semianalfabetos e estúpidos, começou a aparecer no Doodle das páginas de pesquisa do buscador em todas as línguas desde a zero hora deste domingo

LEIA TAMBÉM

O Google Doodle de hoje comemora o centésimo aniversário do filósofo, educador e autor brasileiro Paulo Reglus Neves Freire, que nasceu em 19 de setembro de 1921 no Recife, numa época em que a região foi uma das mais afetadas pelos ecos do colonialismo e da escravização. A ferramenta de busca mais usada na internet global não poderia deixar de homenagear aquele que é reconhecido como um dos mais influentes pensadores educacionais do século XX.

Freire é o patrono da educação brasileira e, além disso, é o intelectual brasileiro mais citado no mundo, em sua página principal em todos os países, devido às suas propostas de uma educação libertadora e conceitos como a “pedagogia da autonomia” e a “pedagogia do oprimido”.

O intelectual pernambucano que criou métodos revolucionários de educação popular, agora está sendo homenageado no mundo inteiro, enquanto o governo brasileiro se mantém em silêncio.

O portal Brasil247 e o DCM classificaram os bolsonaristas que atacam Freire como estúpidos e semianalfabetos que destilam seu ódio contra aquele que sempre estimulou o pensamento crítico, que de acordo com a filósofa Marcia Tiburi é o maior inimigo do fascismo. Além disso, a deputada e professora Maria do Rosário afirmou ao site que Freire é a antítese do neoliberalismo.

Ontem, o deputado federal Eduardo Bolsonaro afirmou que a Educação do país é de “péssima qualidade” por culpa de Paulo Freire, a quem se referiu como “patrono desta bagunça”.

O parlamentar fez os comentários ao reclamar de uma liminar da Justiça Federal do Rio de Janeiro do dia 17, que passou a proibir que a União pratique ato institucional atentatório à dignidade do professor Paulo Freire.

A decisão vem em socorro à imagem do patrono da Educação brasileira, que nos últimos anos se tornou alvo de bolsonaristas e do próprio Jair Bolsonaro, que são notórios propagadores de desinformação.

Segundo o Movimento Nacional de Direitos Humanos, agentes do governo federal agem “com falas ofensivas e em contraposição ao pedagogo”.

“O Presidente da República já defendeu, em seu plano de governo, ‘expurgar a filosofia freiriana das escolas’ e o mentor intelectual do presidente, o ideólogo de direita Olavo de Carvalho, também ataca o legado de Freire”, diz um trecho do documento obtido pelo site Metrópoles.

No Twitter o aniversário de Paulo Freire é bastante comemorado em meio a indagações de vários perfis sobre os motivos da perseguição bolsonarista ao educador. Generalizando, as postagens na rede social revelam que caso o filósofo fosse vivo ele levaria dias para receber as parabenizações de todos aqueles que o admiram. Dentre as muitas mensagens destaca-se um tuíte da colunista do El País, Debora Diniz:

100 anos de Paulo Freire. Vale tirar a tarde do domingo para ler Pedagogia do Oprimido. Parar na diferença entre radicalismo e sectarismo. Não devemos temer ser radicais em defesa da democracia e dos direitos humanos. Sectarismo é coisa de fanático” afirmou a jornalista.

A obra de Freire, “Pedagogia do Oprimido”, está entre os 100 livros mais solicitados em universidades de língua inglesa pelo mundo, sendo a única brasileira a entrar na lista. O livro discute a contradição entre opressores e oprimidos e de como é necessário criar uma ação para solucionar essa oposição.

O teórico da educação, portanto, não é referência só no Brasil. É reconhecido internacionalmente e já foi homenageado com ao menos 35 títulos de Doutor Honoris Causa por diversas universidades, além de ter recebido prêmios como, por exemplo, o Educação pela Paz da Unesco.

Projetos sobre Freire neste mês

Diversas instituições oferecem aulas e cursos gratuitos sobre o Patrono da Educação Brasileira. O portal Catraca Livre selecionou alguns projetos que acontecem neste mês. Aqueles que ainda dá tempo estão relacionados abaixo. Confira:

“100 Anos de Paulo Freire: Esperançar em Tempos de Barbárie” reúne acadêmicos de diversas instituições e segue com programação inédita até o dia 23 de setembro. As inscrições são no site da Rede Emancipa.

A série de webinários “Paulo Freire: 100 anos”, oferecida pelo Instituto Unibanco e pela Escola do Parlamento, ocorre de 8 a 22 de setembro. Durante os encontros, serão discutidas as obras do educador.

O ciclo “Educação para Juventudes” será transmitido ao vivo todas as quartas-feiras, a partir das 16h, no canal do Instituto Unibanco no YouTube. No dia 22, o último webinário, “Educação e mudança social”, tratará das relações entre educação e mudança numa perspectiva de justiça social.

O Sesc TV também exibe, a partir do dia 19 de setembro, a série documental “Paulo Freire, Um Homem do Mundo”.

Educadores e interessados na área podem assistir gratuitamente a vídeos sobre Paulo Freire. Disponíveis no site Domínio Público, os vídeos contam com versão com tradução para Libras.

Paulo Freire

Paulo Freire cresceu ao lado de famílias rurais de baixa renda. E enquanto sua própria família lutava contra a fome, fundamentou sua compreensão da relação interconectada entre o status socioeconômico e a educação. Dali em diante, fez da melhoria da vida de pessoas marginalizadas a missão de sua vida.

Em 1948, Paulo Freire começou um posicionamento de uma década fornecendo serviços sociais para a classe trabalhadora brasileira, o que foi fundamental para a criação de seu modelo de educação universal – Conscientização, o desenvolvimento da consciência crítica.

Essa metodologia inovadora promove a troca cultural entre professor e aluno através das lentes de suas circunstâncias sócio-históricas com o objetivo de criar uma sociedade democrática livre do analfabetismo.

A vida e a obra de Paulo Reglus Neves Freire foram marcadas por sua clara opção a favor dos oprimidos. Nascido em uma região pobre do país – Recife, Pernambuco, em 1921 – ele pôde, desde cedo, observar as dificuldades de sobrevivência das classes desfavorecidas. Talvez daí tenha vindo a sua indignação contra as injustiças e seu grande desejo: a transformação da sociedade que, segundo ele, devia ser menos autoritária, discriminatória e desigual.

Paulo Freire é considerado um dos mais importantes pensadores da história da pedagogia.

A sua prática na educação, ou sua práxis educativa, como ele preferia chamar, foi sempre coerente com o seu sonho de democracia, desde os tempos de professor de escola, até aqueles em que passou a criador de ideias e “métodos”, os quais assistiu serem reconhecidos e divulgados pelo mundo.

De acordo com a Google Scholar – ferramenta de pesquisa para literatura acadêmica –, o educador, pedagogo e filósofo brasileiro, Paulo Freire, é o terceiro pensador mais citado do mundo em trabalhos acadêmicos de universidades de humanas.

A pesquisa, realizada pelo professor Elliot Green, indica que o brasileiro foi mencionado 72.359 vezes. O filósofo Thomas Kuhn está em primeiro lugar, com 81.311 citações, e logo em seguida o sociólogo Everett Rogers, com 72.780.

Paulo Freire morreu no dia 2 de maio de 1997, aos 75 anos, em São Paulo.

BÔNUS (Lula e Paulo Freire se encontram em 1989):

Comente