Otimismo sobre o bolsonarismo está associado à conduta ‘esquizofrênica’ da maioria dos brasileiros: 64%

14/12/2018 4 Por Redação Urbs Magna

Pesquisa da CNI/Ibope identificou 64% dos brasileiros otimistas com o futuro governo Jair Bolsonaro e apoio de 75% às ações durante a transição. Os entrevistados apontaram como principais problemas do país a saúde (46%) e o desemprego (45%). Pois bem.

O futuro ministro da Saúde, Henrique Mandetta, é investigado por fraude em licitação, tráfico de influência e caixa dois.

À ficha corrida se soma o desafio de garantir a atenção básica depois do vácuo sanitário deixado pela saída dos médicos cubanos.
Os brasileiros não parecem tão dispostos a encarar o espírito da medicina em áreas pobres, distantes e indígenas afetadas pelo coice diplomático bolsonarista.

O cargo de ministro do Trabalho não existirá porque Bolsonaro extinguiu a pasta e esquartejou as atribuições entre outros ministérios.

O presidente eleito defendeu os patrões, criticou as leis trabalhistas e elogiou a informalidade – emprego bom é emprego com menos direitos, ele defende.

Integrantes do governo defendem o fim da estabilidade do serviço público.

Tudo caminha para a precariedade total da terceirização: menos direitos, menos impostos pagos, menos recolhimento previdenciário.

E, aí, o desfecho do otimismo: menos dinheiro público na saúde, menos aposentadoria, menos grana para férias, décimo terceiro e quinquilharias de países atrasados.

O lema perfeito para esse Brasil esquizofrênico bem poderia ser “Sorria, você está sendo enganado”.

via GGN

Receba nossas atualizações direto no seu WhatsApp – Salve nosso número em sua agenda e envie-nos uma mensagem – É GRÁTIS – ACESSE AQUI

Doe ao Et Urbs Magna

𝙲𝙾𝙽𝚃𝚁𝙸𝙱𝚄𝙰 𝚌𝚘𝚖 𝚘 𝚅𝙰𝙻𝙾𝚁 𝚀𝚄𝙴 𝙳𝙴𝚂𝙴𝙹𝙰𝚁 (O valor está expresso em Dólar americano) Para alterar o valor a contribuir, basta alterar o MULTIPLICADOR na caixa correspondente 𝐀 𝐩𝐚𝐫𝐭𝐢𝐫 𝐝𝐞 𝐔𝐒𝐃 $ 5 até o limite que desejar

$5.00

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.