O Sonho de Lula acabou: Tropa de Bolsonaro aprova mudança na aposentadoria contra os pobres – Agora é “trabalhar mais para ganhar menos”

Após cinco horas, a comissão especial que analisa a Reforma da Previdência (PEC 6/19) aprovou, por 36 votos contra 13, nesta quinta-feira (4), o texto-base do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP). Ainda faltam os destaques para o texto seguir para análise do Plenário. Deputadas comunistas lamentaram o resultado, pois entendem que as diretrizes da proposta original do governo Bolsonaro foram mantidas.

As parlamentares defendem mobilização popular para barrar texto no Plenário da Câmara. Em transmissão ao vivo, após a divulgação do resultado da votação, a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA), mostrou a festa feita por deputados do PSL. Para ela, a festa foi “tímida”, mas explicita a alegria daqueles que “comemoram a retirada de direitos dos mais pobres”. “É um cheque em branco que está sendo dado aqui. É lamentável. Isso tudo para entregar a Previdência ao mercado financeiro”, lamentou.

A deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC) também criticou a postura da base governista. “Estão comemorando a desgraça dos trabalhadores”, disse. “Essa reforma vai mudar a vida de milhões de brasileiros. É um tiro do governo Bolsonaro na Previdência dos mais pobres do país”, completou.

A líder da Minoria, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), lembrou que o resultado na comissão já era esperado, visto que a aprovação no colegiado se dá por maioria simples, e que a votação desta quinta-feira não significa garantia de aprovação no Plenário da Casa.

“Temos tempo de luta, tempo de resistência e de derrotar essa reforma no Plenário. Precisamos de mobilização, as pessoas precisam ir às ruas para pressionar os parlamentares favoráveis ao texto”, afirmou.

A presidente nacional do PT, deputado Gleisi Hoffmann (PR), diz que o texto do relatório atinge diretamente os brasileiros mais pobres. 

“Muito triste ver os engravatados do parlamento aplaudindo a aprovação de uma das propostas mais cruéis com o povo brasileiro. É compreensível. Eles ganham bem. Quem ganha um ou dois salários são os aposentados e trabalhadores que sofrerão com essa Reforma da Previdência”, disse a parlamentar.

“Acabaram de deixar a digital na destruição da Previdência Pública brasileira! A certeza de que estamos do lado certo da história! O tempo revelará os algozes da aposentadoria no Brasil!”, disse o líder do PDT na Casa, André Figueiredo (CE).

Na opinião do deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ), o texto é claro no sentido de que será preciso trabalhar mais para receber menos. 

“Trabalhar mais para ganhar menos, é isso que a Reforma da Previdência, que acaba de ser aprovada na Comissão Especial da Câmara, fará com os mais pobres. Mas seguiremos, porque tem mais luta pela frente”, disse.

O líder da Oposição, deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), diz justificou o voto contra: “Fomos contrários ao texto-base da Reforma da Previdência, aprovado há pouco na comissão. Entendemos que uma reforma é necessária para equilibrar a Previdência, mas o texto final foi apresentado na correria, há menos de 24 horas, e agrava as desigualdades que castigam o nosso povo”.

via Portal Vermelho

Comente

1 comentário em “O Sonho de Lula acabou: Tropa de Bolsonaro aprova mudança na aposentadoria contra os pobres – Agora é “trabalhar mais para ganhar menos””

  1. Clarice correa

    Eu tinha uma ponta de esperança que esse texto não passasse, agora, só nos resta fazer pressão pra que alguém no plenário tenha mais juízo e não conclua esse julgo. Esse desgoverno esta acabando com o pouco direito que os mais pobres tem, só que vive do lado de cá, pra saber o que isso significa. Só lamento!

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.