MP se manifesta por condenar blogueiro bolsonarista que acusou Jean Wyllys de ser mandante da facada

O ex-deputado federal Jean Wyllys, em 17-04-2018, quando era ligado ao PSOL-RJ, em foto de Alex Ferreira/Câmara dos Deputados, e o blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio em foto reprodução no Instagram | Sobreposição de imagens


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

Oswaldo Eustáquio também difamou o PSOL ao divulgar que o partido estaria ligado ao atentado contra Bolsonaro

O Ministério Público do Paraná se manifestou pela condenação do blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio Filho por crime de difamação contra o PSOL e por ter divulgado que, além do partido, o ex-deputado federal Jean Wyllys também seria o mandante do atentado à faca sofrido pelo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, na cidade de Juiz de Fora, MG, durante campanha de 2018, cujo autor foi Adélio Bispo.

O blogueiro afirmou em uma publicação no portal Renews que havia suspeitas de que a legenda e Wyllys seriam “mandantes do crime que tentou tirar a vida do presidente”, o qual até hoje é envolvido por polêmicas.

Oswaldo Eustáquio Filho escreveu no portal que “um braço político ligado ao PSOL [e] a Jean Wyllys surge como forte indício de que Adélio não agiu sozinho” e, por este motivo, o MP, segundo matéria de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, diz que o blogueiro teve dolo de macular a honra objetiva da legenda.

Em declaração na noite deste domingo (7/11), Jean Wyllys disse que o governo de Bolsonaro, o qual considera “neonazifascista e corrupto“, através de “partidos de direita que lhe dão cobertura na Câmara e no Senado” classificados pelo ex-deputado como “base de idiotas e bandidos“, usa seu nome e “ressuscitam fake news contra mim” para “criar cortina de fumaça” toda vez que “estão sob denúncia de um novo crime“.

Veja abaixo:

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.