Moro, que já é fraco como candidato, poderá ter nome de vice ainda pior, mas com voz que supera a sua

O ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública do Governo Bolsonaro, Sergio Moro, durante sessão da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, em Brasília- DF, em 08 de maio de 2019 | Foto: Lula Marques


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

O União Brasil está penando para achar alguém que faça a diferença, que é gigantesca, para encaixar na chapa em que o ex-juiz disputará a Presidência, em 2022, com a herança do mesmo ódio inexplicável ao PT, visto em cada vez menos eleitores

Uma matéria na Veja deste sábado (25/12), endossada por Laryssa Borges, afirma que o União Brasil – partido resultado da fusão entre Democratas e PSL, tenta encontrar entre seus quadros um nome para apresentar como vice-presidente em uma eventual chapa encabeçada por Sergio Moro (Podemos).

O ex-juiz, que já é fraco como candidato à Presidência, precisará de alguém que faça a diferença, que é gigantesca, para preencher as lacunas, cada vez maiores, deixadas pela debandada de seguidores daquele que ainda vive da herança de um ódio inexplicável ao Partido dos Trabalhadores, de LULA, cujo sentimento é visto em cada vez menos eleitores.

O texto da jornalista fala sobre a “dificuldade” de se buscar um bom nome dentro de um “emaranhado de filiados” que “é formado por ilustres desconhecidos que, a preço de hoje, pouco acrescentariam como puxadores de voto“.

Nomes principais, listados em reuniões recentes de articulação política, dão conta de “políticos na casa dos 100.000 votos – patamar irrisório em uma corrida presidencial”, escreve a jornalista.

Logo, Moro poderá ter um nome para vice ainda pior do que ele mesmo. O ex-juiz, que foi aconselhado a realizar sessões de fonoaudiologia e treinamentos para entrevistas, ainda não adquiriu a fluência necessária para os debates que virão em 2022.

Mas, ante a dificuldade de empostar a voz, que frequentemente é apontada como de “marreco“, como foi neste sábado de Natal, em mensagem no Twitter, junto com sua esposa, Sergio Moro poderá ter um vice que poderá se sobressair, com uma voz que será realmente melhor que a sua, e lhe causar problemas.

O União quer propor um nome com projeção política local, mas com amplo trânsito no Congresso e, nordestino, teoricamente capaz de abrir portas e palanques políticos ao ex-magistrado na Lava-Jato na região onde Lula, primeiro colocado na corrida presidencial, lidera com ampla folga, diz a matéria.

O tempo de propaganda do União deterá um 1/6 de todo o tempo de propaganda no horário eleitoral no rádio e na TV (o restante será dividido por outras 25 siglas) e um dos maiores nacos do bilionário fundo eleitoral.

Mesmo pequeno, é um “senhor ativo” para Moro, diz a jornalista.

O ex-lavajatista ocupa a terceira colocação em intenções de voto, com 9%, segundo pesquisa Datafolha divulgada no início do mês.

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.