Moraes pede ao MPE avaliação de motivos para investigar motociata de Bolsonaro

Solicitação é embasada em suposto uso de dinheiro público e propaganda eleitoral antecipada

O ministro vice-presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Alexandre de Moraes, pediu ao MPE (Ministério Público Eleitoral) uma avaliação dos argumentos apresentados pelo deputado federal Elias Vaz (PSB-GO) para saber se são motivos para investigação contra o presidente Jair Bolsonaro (PL), devido a uso de dinheiro público para a realização de motociatas que visam fazer propaganda antecipada.

Vaz apurou no Portal da Transparência da Presidência da República que em 15 de abril Bolsonaro gastou de R$ 160 mil em passagens e diárias para participar de um dos seus passeios de motocicleta junto a apoiadores, em São Paulo.

“Há indícios graves de que o Bolsonaro esteja utilizando o cartão corporativo para custear campanha fora da época autorizada por lei. É um desrespeito utilizar dinheiro público com essa finalidade”, diz Vaz em um trecho da representação, de acordo com transcrição do site.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que o gasto com policiamento foi de R$ 1 milhão, com cerca de 2.000 policiais que foram mobilizados para monitorar o trajeto da manifestação.

Apesar da ação contra o presidente, o vice-procurador-geral eleitoral, Paulo Gionet Branco, deve se manifestar pela improcedência do pedido, diz texto do portal de notícias UOL.

Siga Urbs Magna no Google Notícias
Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.