Mais de mil Yanomamis em estado grave são transferidos para hospital de campanha após visita de Lula

O Ministério da Saúde declarou Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional e, desde então, o Poder Executivo federal adotou medidas de “prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública

A FAB está montando em Boa Vista (RR) um hospital de campanha que veio transferido do Rio de Janeiro (RJ) para atender aos índios Yanomamis, após a visita do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), na semana passada. Mais de mil pessoas com graves problemas de saúde já foram transferidas da Terra Indígena Yanomami para a capital de Roraima.

Pudemos presenciar o estado de calamidade em que o território está. É um cenário de guerra. Nossa unidade de saúde indígena, em Surucucu, assim como a nossa Casai [Casa de Apoio à Saúde Indígena] aqui, em Boa Vista, são praticamente campos de concentração”, disse o secretário nacional de Saúde Indígena, Ricardo Weibe Tapeba, nesta terça-feira (24/1), conforme transcrição da Agênia Brasil.

583 pessoas estavam alojadas na unidade de saúde de Boa Vista, para onde parte dos Yanomamis doentes está sendo transferida para receber tratamento médico adequado, diz o texto do portal. Do total, 271 indígenas eram pacientes; 257 acompanhantes e 55 índios que já receberam alta médica e aguardam uma oportunidade de voltar a seus territórios.

O secretário nacional informou que 700 pessoas já estavam recebendo atendimento na unidade da Casai de Boa Vista. Tapeba diz que os principais problemas de saúde identificados são desnutrição, malária e infecção respiratória aguda. Situação que motivou o Ministério da Saúde a declarar Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional. Desde então, o Poder Executivo federal adotou medidas de “prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública”.

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.