LULA: “Todo sábado sai pra dar voltinha de moto, mas não teve coragem de visitar um hospital”

13/06/2021 0 Por Redação Urbs Magna
LULA: “Todo sábado sai pra dar voltinha de moto, mas não teve coragem de visitar um hospital”

Mensagem gerou debate nas redes sociais, com forte apoio à crítica feita pelo ex-presidente aos movimentos autopromocionais do atual chefe do executivo, frequentes em motociatas de fins de semana – Ofensiva oposta teve argumentação insuficiente e foi rebatida

“Um presidente que todo sábado sai pra dar voltinha de moto, mas não teve coragem de visitar um hospital”, afirmou Lula em seu perfil oficial no Twitter, o que provocou um debate intenso na rede social, com forte apoio às palavras do ex-presidente contra as motociatas de autopromoção feitas por Bolsonaro.

“Ele tenta alienar o gado com a mídia paralela dele e seus jornalistas independentes, construindo um Brasil paralelo. Até tentaram emplacar uma rede social conservadora para retirar qualquer contado do gado com os seres humanos”, afirmou o perfil @perdidoepelado.

“Não vai a hospitais pra não gerar aglomeração, mas vai às ruas gerar aglomeração sem proteção alguma?”, questionou @GideonRochartas sobre argumentação ofensiva e desrespeitosa de @Livia43, que disse que “hospital é lugar para profissionais da saúde” e que se Bolsonaro fosse “ia gerar aglomeração porque, óbvio, o presidente é querido pelo povo ao contrário de um certo cachaceiro, e não seria legal”.



Desde antes do último pleito presidencial, o discurso de ódio tem sido amplamente utilizado em detrimento de uma boa prática de debates, que tem como finalidade vencer opositores pela conquista de um rebanho que confunde o populismo com uma característica de nobreza política, sendo um método de ascensão preferido pela extrema direita, não apenas em nosso país. E a proliferação do sentimento dentro de cada um se dá principalmente em redes sociais, onde ainda é possível caluniar alguém, ou manipular a opinião pública em favor de outro, mesmo com as tentativas das Cortes de Justiça superiores em realizar ajustes que possam definir e promover alguma ética.

A desinformação também é notável. Demonstra o fracasso pessoal de cada um diante de propostas de gigantes da mídia, como o Google, para transformar o mundo online no promotor definitivo do conhecimento. Na verdade isso aconteceu, mas, como dito acima, é algo pessoal.

Por exemplo, você lê esta matéria agora segurando nas mãos um dispositivo que pode levar às respostas para quaisquer indagações, mas, apesar dessa potencialidade, muitos e muitas ainda preferem ‘terceirizar’ perigosamente suas opiniões, sob o risco real de caírem em uma malha desinformativa tendenciosa.

Este exemplo é visto em mais outra desarrazoada resposta a Lula: “E o Sr que gastou nosso dinheiro e não fez UM hospital!!!!”, disse @luzardotd, sem saber o que, em seguida, @ArtoniJosiani quis explicar ao treplicar corretamente que o ex-presidente “só fez o Samu, o farmácia popular, fortaleceu o SUS etc”.

O comentário foi publicado sob dois possíveis motivos para fazê-lo: primeiro ‘intencionalmente’, talvez por um robô, para ‘desinformar’, ou, em segundo caso, pura e inocentemente para expressar um genuíno estarrecimento, mas sob a condição de ‘vítima’ de sua própria ignorância.

Isso porque até o ano de 2016 Lula e Dilma construíram 446 UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e, após o golpe do impeachment, a ex-presidenta deixou o governo com outras 620 UPAs em construção em todo o Brasil.

Tais dados foram coletados por 6 pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz, instituições públicas e de universidades públicas do Brasil e publicado na Revista de Saúde Pública em 2017, conforme noticiou, em 2020, o portal Carta Capital.

Entrar no âmbito do assunto sobre a desinformação nas redes sociais dá muito ‘pano pra manga’ e sua leitura pode se tornar insuportável, mas, definitivamente, é o motivo quase total que leva à frustração política individual de cada brasileiro.


Siga no Telegram

Comente