JN destaca a ‘estranha’ ligação de Flávio e Jair Bolsonaro ao miliciano Adriano da Nóbrega

11/02/2020 1 Por Redação Urbs Magna

O Jornal Nacional fez uma linha do tempo com as condenações do miliciano e as homenagens prestadas pela família Bolsonaro a Adriano da Nóbrega, morto na manhã de domingo (09).

O destaque que o JN deu foi estrondoso, na voz de Renata Vasconcellos: “Adriano da Nóbrega era suspeito de comandar um grupo que cometeu dezenas de homicídios. Foi expulso da Polícia Militar por envolvimento com jogo do bicho e homenageado, mais de uma vez, pelo deputado estadual Flávio Bolsonaro”, disse a apresentadora.

Mônica Sanches montou uma linha do tempo com os crimes de Nóbrega e as homenagens de FLavio. De início, uma ação policial conduzida por Adriano da Nóbrega em conjunto com Fabrício Queiroz – famoso pelo esquema de rachadinhas, segundo a repórter – em 2003 que deixou um homem morto.

A primeira homenagem feita por Flavio foi em outubro de 2003, cinco meses após a ação de Nóbrega e Queiroz. A seguinte – a Medalha Tiradentes – foi em junho de 2005, pouco mais de um ano após a prisão do miliciano pela morte de um guardador de carros.

Uma menção feita por Bolsonaro a Nóbrega também em 2005 foi exibida na matéria. O atual presidente lembrou do miliciano poucos dias após ser condenado em júri popular.

Na timeline do JN, Queiroz chegou ao gabinete de Flavio após ser expulso da Polícia Militar e colocou a ex-mulher de Nóbrega – Danielle Mendonça da Nóbrega. Em 2008 ele foi preso mais uma vez e, em 2013, o miliciano foi expulso da PM.

Acusado de chefiar o Escritório do Crime, ele também era investigado como participante do esquema de rachadinhas no gabinete de Flavio.

ASSISTA À TIMELINE DO JN:

Comente