Influencer bolsonarista é condenado a pagar R$110 mil a Leonardo Boff por fake news

Sem apresentar nenhuma evidência, Bernardo Küster disse que o teólogo desviou R$13 milhões em recursos públicos acrescentando que ele devia estar na cadeia

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro condenou o ativista influencer e empresário bolsonarista Bernardo Küster a pagar cerca de R$ 110 mil ao teólogo Leonardo Boff. A decisão foi referendada em segunda instância após o ativista apresentar recurso junto ao tribunal. Küster, que é investigado pelo STF no inquérito das fake news, foi processado depois de divulgar vídeo afirmando que o teólogo desviou R$ 13 milhões em recursos públicos, sem apresentar qualquer evidência. O ativista ainda afirmou que Boff deveria estar na cadeia.

Uma decisão de primeira instância já havia determinado que Bernardo Küster pagasse R$ 20 mil ao teólogo por danos morais, incluísse no vídeo uma mensagem afirmando que a publicação é alvo de processo e desse direito de resposta. As medidas não foram cumpridas por mais de dez meses, e a multa chegou a R$ 109.991,80. A defesa de Leonardo Boff foi feita pelo advogado João Tancredo.

Folha

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.