Holiday vai à Justiça para suspender cachê de Ludmilla por ela ter feito um “L” com a mão no Virada Cultural

O gesto representando a letra é comumente associado a LULA. Quando a cantora saiu do palco, o telão alternava as cores vermelho e branco

O vereador Fernando Holiday (Novo) entrou com representação na Justiça e quer suspender o cachê da cantora Ludmilla por ela ter convocado o público a fazer um “L” com a mão, durante o seu show na Virada Cultural, em São Paulo, neste domingo (29/5). O gesto representando a letra é comumente associado a LULA.

Na ação, o camarista pede que caso o pagamento já tenha sido feito pela prefeitura de São Paulo, no valor de R$ 222 mil, que o dinheiro seja restituído para os cofres públicos, sob a alegação que o show “beneficiou pessoas determinadas, uma vez que, a artista puxou a plateia para enaltecer o símbolo de um pré-candidato à presidência”. 

O caso, que será julgado pela Vara de Fazenda Pública do Tribunal de Justiça de São Paulo, é, de acordo com o vereador, similar ao da cantora Daniela Mercury no Dia do Trabalhador, quando ocorreram diversas referências de apoio a Lula.

É inconcebível que o município promova um evento que ignore completamente a justificativa para sua realização e se torne um showmício, ignorando até mesmo a legislação eleitoral“, afirma a representação, de acordo com transcrição do jornal Folha de São Paulo.

Siga Urbs Magna no Google Notícias
Comente

1 comentário em “Holiday vai à Justiça para suspender cachê de Ludmilla por ela ter feito um “L” com a mão no Virada Cultural”

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.