Gilmar Mendes “afia o facão” para Moro após acusações de que o STF protege corruptos, diz a Veja

O ministro do STF, Gilmar Mendes, em foto de 2016 / Ascom/STF. Ao fundo, o ex-juiz declarado suspeito pela Corte, Sergio Moro, em foto de Evaristo Sa / AFP | Sobreposição de imagens


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

Vou bater nele no momento oportuno”, teria dito o ministro a colegas, referindo-se aos comentários que o ex-juiz declarado suspeito pela Corte tem propagado por onde passa

Os ataques de Sergio Moro ao STF (Supremo Tribunal Federal), feitos com frequência em defesa de seus processos que condenaram LULA injustamente, não ficarão sem resposta, afirmou Gilmar Mendes, de acordo com Robson Bonin, da coluna Radar da revista Veja, que disse que o ministro “já afia o facão”.

O ex-juiz federal da 13ª vara de Curitiba, que atuou sem competência pela Lava-Jato com o fim de condenar o ex-presidente, tem criticado as decisões da Corte que, segundo ele, favoreceram corruptos condenados pela Justiça.

Os ataques de Sergio Moro ao STF e a suposta leniência da Corte com políticos corruptos, não ficarão sem resposta. Gilmar Mendes já afia o facão“, escreveu o colunista.

Na terça-feira (7/12), Moro disse que “manobras jurídicas enterraram de vez o caso do Triplex de Lula, acusado na Lava Jato“.

O ex-juiz ainda afirmou que “crimes de corrupção deveriam ser imprescritíveis, pois o dano causado à sociedade, que morre por falta de saúde adequada, que não avança na educação, jamais poderá ser reparado“.

Ele se referiu ao pedido do MPF-DF (Ministério Público Federal do Distrito Federal) para arquivar o processo em que LULA chegou a ser condenado por supostamente ocultar ser o proprietário de um apartamento triplex em Guarujá, no litoral paulista.

O Supremo já havia anulado a decisão de Moro e, há quatro dias, a Procuradoria considerou que a possibilidade para uma eventual pena prescreveu, sob a argumentação da procuradora Márcia Brandão Zollinger de que LULA já tem mais de 70 anos. Com isso, o prazo para prescrição de uma eventual pena cai pela metade.

Na manifestação, a procuradora afirmou que “verifica-se a ocorrência da extinção da punibilidade pela prescrição da pretensão punitiva estatal relativamente aos investigados septuagenários, como Luiz Inácio Lula da Silva”.

Após anulações, LULA é ficha limpa e pode disputar eleições

LULA recuperou seus direitos políticos após uma série de vitórias na Justiça, como a anulação de condenações na Lava Jato e a suspeição de Moro no caso do tríplex.

Com as anulações, LULA não tem nenhuma condenação criminal em instâncias da Justiça. Logo, LULA é inocente.

A defesa de LULA diz que dos 23 processos anteriores, apenas um segue na Justiça. Uma ação na Justiça Federal do Distrito Federal que investiga a compra de caças suecos está suspensa desde maio deste ano.

Em novembro, a Segunda Turma do STF determinou o desbloqueio de bens de LULA, que haviam sido retidos pela Lava Jato.

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.