EUA manobram para evitar chegada de combustível em Cuba – situação é dramática

30/07/2019 1 Por Redação Urbs Magna
Compartilhe

Comunidade internacional é acionada por ministro cubano, que pede que se evitem ações da administração Trump contra o povo da ilha


via JUVENTUD REBELDE / Cuba


Os Estados Unidos amplificaram suas ações econômicas contra Cuba, realizando atividades ilegais de vigilância e perseguição de navios, além de ameaçarem companhias de navegação, companhias de seguros e governos aliados, para impedir a chegada de combustível ao país. 

É um plano genocida # NoMásBloqueo ”, escreveu o ministro das Relações Exteriores, Bruno Rodríguez Parrilla, em sua conta no Twitter na segunda-feira (29)



A denúncia das novas ações do governo de Donald Trump para impedir a chegada de combustível à Ilha foi acompanhada de um apelo à comunidade internacional para que se evitasse essa manobra que prejudica a integridade do povo cubano e para impedir a “hostilidade, insensatez e irresponsabilidade da atual administração norteamericana.

Em abril do ano passado, foram impostas sanções contra navios que transportam petróleo bruto venezuelano para Cuba, o que significa que uma extraterritorialidade é colocada em prática, além de constituir uma interferência e arrogância imperial.

Resultado de imagem para os amplificaram suas ações econômicas contra Cuba,
A guerra econômica de Trump contra a Venezuela é também uma guerra econômica contra Cuba

Em Cuba, o Presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, denunciaram estas ações durante o ato central do 66º aniversário dos assaltos aos quartéis de Moncada e Carlos Manuel de Céspedes.

“Hoje denuncio ao povo de Cuba e do mundo que a administração dos Estados Unidos começou a agir de forma mais agressiva para nos impedir a chegada do combustível”, disse o presidente durante a celebração em Bayamo da grande data de 26 de outubro.

“O bloqueio contra Cuba afeta muitos cidadãos e setores empresariais norte-americanos que se limitam a desenvolver um relacionamento respeitoso e conveniente com as autoridades cubanas e a sociedade, disse em outro tweet, o ministro das Relações Exteriores, contra o bloqueio e a Lei Helms-Burton.



Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.
Compartilhe