Equipe Bolsonaro entrega a Eletrobras por mixaria e Brasil não terá mais o controle do nosso próprio sistema elétrico

05/11/2019 1 Por Redação Urbs Magna

PL retira do governo a “regra de ouro (golden share)”, que é o poder de veto em decisões estratégicas e governo não tem mais o controle sobre o setor


O projeto de lei que autoriza a privatização da Eletrobrás, que será assinado nesta terça-feira (5) por Jair Bolsonaro, retira do governo a chamada “regra de ouro (golden share)”, que possibilita que a União tenha o poder de veto em decisões estratégicas que podem ser tomadas pela empresa, mesmo em que possua uma participação acionária minoritária.

Resultado de imagem para eletrobras sede
Sede da Eletrobras
Telegram: Acesse e SIGA NOSSO CANAL

“Ela (a Eletrobras) vai se tornar uma corporação em que nenhum acionista vai ter mais que 10% do poder de voto, inclusive a União”, disse o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque

Segundo reportagem do jornal O Globo, a equipe econômica, comandada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, teria comentado nos bastidores que não fazia sentido um governo liberal manter ações de classe especial que reduzem o valor da empresa a ser entregue à inciativa privada. 




A golden share é uma classe especial de ações estabelecida no modelo de privatizações adotada pelo governo Michel Temer como uma forma de reduzir a resistência do Congresso à venda estatais para a iniciativa privada. Atualmente, a União detém ações do tipo golden share na Vale,  Embraer e no Instituto de Resseguros do Brasil (IRB).

A expectativa do governo é que o leilão de privatização da Eletrobrás, maior empresa de geração e transmissão de energia elétrica do país, seja realizado no próximo ano e resulte em uma arrecadação de R$ 16,2 bilhões. 

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.