Eleitores denunciam “fraude(?)” nas urnas das eleições 2014

28/10/2014 1 Por Redação Urbs Magna

Grande número de pessoas relatam que ao chegarem às seções de votação  descobriam que alguém já havia votado em seu lugar.

Claudia souza fotoInstantâneo 1 (28-10-2014 18-24)O caso que chamou mais atenção, e que está sendo divulgado massivamente em uma das maiores redes sociais do país e do mundo, foi o de Claudia Souza que se diz jornalista de São Paulo e que imediatamente na hora que soube que alguém já tinha votado em seu lugar, ligou a câmera de seu celular e fez um vídeo para denunciar a situação com o título de “Urna Eleitoral Rouba Voto nas Eleições 2014”. Ela disse que o mesário inseriu seu número do Título de Eleitor no coletor de dados da urna e o sistema acusou que a votação já havia sido feita, mas o comprovante do ato ainda se encontrava em branco e sem sua assinatura e sem ser destacado do fichário correspondente. Claudia filmou toda a sua tentativa de obter resposta em um vídeo de duração de facebook sobe e descequase 20 minutos, onde os funcionários que trabalhavam no colégio em que foi votar tentavam até mesmo impedir que ela registrasse o momento. Enfim, ela disse que iria ao cartório eleitoral reclamar do processo. Outra pessoa, um advogado chamado Felipe Delmanto, também de São Paulo, diz que passou pelo mesmo problema. Ele denunciou o ocorrido à Polícia Militar do Estado de São Paulo dizendo que o recibo de votação já havia sido destacado mas que a sua assinatura não estava no fichário de comprovantes. Novamente em São Paulo aconteceu o mesmo problema com André Luiz Cabral, um autônomo que trabalha em Santos, que resolveu fazer um B.O. na delegacia sobre a situação que encontrou na seção de votação e que a mesária registrou sua votação com o número do Título Eleitoral de outra pessoa. Cabral, indignado disse que a funcionária digitou outro número escondida para tentar resolver o problema dele dizendo que no final ia dar no mesmo. O ator David Brazil também enfrentou o problema dizendo que foi votar e não deu certo, como nos casos acima relatados, e ao final acabou  por fazer uma postagem no Instagram onde se dizia muito chateado: “Então é isso!!! Por ERRO DE ALGUÉM não consegui EXERCER MEU DIREITO DE CIDADÃO!!! Alguém votou no meu lugar, #xateado”, disse na postagem. São Paulo de novo, desta vez em São Bernardo do Campo, o eleitor José Roberto dos Santos confirmou que até assinaram com uma assinatura diferente. Insistentemente em São Paulo, agora na cidade de Paulínia, Adriano Farrah Ferraz Aranha enfrentou a mesma situação. Na Região Nordeste do Brasil, Alberto Segundo, um jovem estudante de João Pessoa, foi encaminhado a um juiz do Fórum Eleitoral para tentar resolver a mesma situação, a qual já era de seu conhecimento. O juiz confirmou que o jovem não poderia votar porque alguém havia feito isso em nome do rapaz sugerindo que o mesmo voltasse na terça-feira para abrir um processo. Em Rondônia, um mecânico também relatou que teve seu voto realizado sem sua presença física. O caso de Arapiraca (AL), é algo que nos deixa bastante perplexos: até mesmo o candidato ao senado Elias Barros (PTC) enfrentou o suposto erro após descobrir que seu voto também já havia sido registrado, mesmo prevalecendo-se do uso da biometria. Para Elias Barros, que afirmou ter se sentido invadido, aquilo foi um registro incontestável de fraude.

Segundo o TRE, esses problemas podem ocorrer quando há pessoas homônimas ou por equívoco do mesário. Mas como entender isso? Ainda não há resposta pronunciada.

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.