E agora, o tipo vende a floresta amazônica. Não é fácil a vida no meu querido país…

27/08/2017 1 Por Redação Urbs Magna

Et Urbs Magna – Todas as comunidades ambientalistas internacionais estão indignadas com o que está acontecendo no Brasil. O mundo inteiro expressa sua perplexidade

Nesta matéria, publicamos a tradução do Jornal francês Le Monde desta semana sobre a decisão do Presidente do Brasil Michel Temer de acabar com parte da reserva amazônica.

Milhões de hectares de floresta amazônica são abertos à mineração. O presidente brasileiro decidiu revogar o status de reserva natural na área do Pará e Amapá no Norte do Brasil. Agora, quatro milhões de hectares de floresta amazônica poderão ser explorados por empresas de mineração.

O presidente brasileiro, Michel Temer, decidiu revogar o status de uma reserva natural, concedida a essas terras em 1984 sob a ditadura militar. Um decreto para este efeito foi publicado na quarta-feira, 23 de agosto, no Diário Oficial. No entanto, o texto estipula que “não questiona a aplicação da lei relativa à proteção da flora e dos territórios indígenas”.

Em Abril, um documento oficial do Ministério de Minas e Energia argumentou que a dissolução da reserva “seria explorar o potencial mineral da região”, abrindo-o como privado – anteriormente apenas as empresas públicas foram autorizadas a operar lá.

Acelerando o desmatamento – Várias organizações não-governamentais, como o Fundo Mundial para a Natureza (WWF), expressaram preocupação sobre esta área localizada nos estados do Pará e Amapá no Norte do Brasil, onde habitam muitas tribos. As autoridades locais garantem que essa mudança de status tenha sido colocada sob o controle de órgãos de proteção ambiental.  Mas o governo Temer tem sido regularmente acusado por ONGs de vender a floresta amazônica sob pressão do poderoso lobby e interesses das empresas de mineração agronegócio. Em junho, durante uma visita do presidente em Oslo, Noruega, principal doador para a proteção da floresta amazônica, advertiu que os seus pagamentos para o Brasil seria reduzido pela metade em 2017 devido à aceleração do desmatamento .

𝘊𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘤𝘰𝘮 𝘴𝘦𝘶 𝘍𝘢𝘤𝘦𝘣𝘰𝘰𝘬 𝘰𝘶 𝘶𝘵𝘪𝘭𝘪𝘻𝘦 𝘢 𝘰𝘶𝘵𝘳𝘢 𝘴𝘦çã𝘰 𝘮𝘢𝘯𝘵𝘪𝘥𝘢 𝘢𝘣𝘢𝘪𝘹𝘰. 𝘖𝘴 𝘤𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦 𝘳𝘦𝘴𝘱𝘰𝘯𝘴𝘢𝘣𝘪𝘭𝘪𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘥𝘦 𝘲𝘶𝘦𝘮 𝘰𝘴 𝘱𝘶𝘣𝘭𝘪𝘤𝘢 𝘦 𝘱𝘰𝘥𝘦𝘮 𝘯ã𝘰 𝘳𝘦𝘧𝘭𝘦𝘵𝘪𝘳 𝘢 𝘰𝘱𝘪𝘯𝘪ã𝘰 𝘥𝘰 𝘴𝘪𝘵𝘦. 𝘛𝘦𝘹𝘵𝘰𝘴 𝘷𝘶𝘭𝘨𝘢𝘳𝘦𝘴 𝘦 𝘥𝘪𝘴𝘤𝘶𝘳𝘴𝘰𝘴 𝘥𝘦 ó𝘥𝘪𝘰 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦𝘴𝘯𝘦𝘤𝘦𝘴𝘴á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘱𝘢𝘳𝘢 𝘢 𝘤𝘰𝘯𝘴𝘵𝘳𝘶çã𝘰 𝘥𝘦 𝘶𝘮𝘢 𝘴𝘰𝘤𝘪𝘦𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘤𝘪𝘷𝘪𝘭𝘪𝘻𝘢𝘥𝘢. 𝘕𝘦𝘴𝘵𝘦𝘴 𝘤𝘢𝘴𝘰𝘴, 𝘳𝘦𝘴𝘦𝘳𝘷𝘢𝘮𝘰-𝘯𝘰𝘴 𝘰 𝘥𝘪𝘳𝘦𝘪𝘵𝘰 𝘥𝘦 𝘣𝘢𝘯𝘪𝘳 𝘴𝘦𝘶𝘴 𝘱𝘦𝘳𝘧𝘪𝘴.
Anúncios