Datafolha revelou o fracasso da terceira via na eleição que será de LULA e Bolsonaro

Os presidenciáveis Ciro Gomes (PDT), Luiz Felipe d’Avila (Novo), Simone Tebet (MDB) e Sergio Moro (Podemos) são irrelevantes diante de LULA (PT), que está com quase o dobro das intenções de voto do segundo colocado, o presidente Jair Bolsonaro (PL), que tentará sua reeleição em outubro | Sobreposição de imagens

Aspirantes com poucas intenções de voto definham ao tentar romper a polarização entre o gigante político e o ilusionista

Com muitos aspirantes e poucas intenções de voto, o campo de candidatos que tenta romper a polarização entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) teve resultados desanimadores com a pesquisa Datafolha desta quinta-feira (24/3) e entrou na zona de definhamento público“, escreve o jornalista Joelmir Tavares, na Folha de S. Paulo, referindo-se ao fracasso da terceira via diante da dimensão do gigante político que alterou o rumo da história brasileira em duas gestões presidenciais e que se mantém com quase o dobro das intenções de voto do segundo colocado, o presidente Jair Bolsonaro (PL), que tentará sua reeleição em outubro usando táticas semelhantes que funcionam como ilusionismo eleitoral para seus seguidores.

O cenário é crítico” para Sergio Moro, diz Tavares, e outros que sucumbiram na tentativa de projetar seus nomes na mente de 2.556 eleitores em 181 cidades de todo o país, de acordo com o levantamento, feito pelo Datafolha nesta terça (22/3) e quarta-feira (23/3), que “adicionou elementos que desconstroem argumentos mais otimistas dos que trabalham pela criação de um polo opcional aos favoritos“.

O fato de que a eleição de outubro deste ano será entre LULA e Bolsonaro “passou a ser reconhecido com mais frequência nos bastidores nas últimas semanas“, escreve o jornalista. “Moro está no Datafolha com 8%, empatado tecnicamente com Ciro (6%). As dificuldades de ambos na montagem de palanques estaduais e as inúmeras resistências no universo político jogam contra o ex-juiz e o ex-ministro.

Quanto aos demais, o jornalista afirmou que a situação é “dramática”, enquanto o “líder do PT tem 43% no cenário mais amplo e o candidato à reeleição, 26%“, escreve. “Nas especulações de segundo turno, conforme a pesquisa, Moro bateria Bolsonaro, mas não LULA; Doria perderia para LULA e empataria com Bolsonaro; e Ciro superaria Bolsonaro, mas não LULA“.

Na pesquisa espontânea, em que o entrevistado é questionado sobre o candidato em que irá votar, sem ser apresentado às listas de opções, também sobrevêm notícias frustrantes para a “nova via”“, mostra Tavares. “os postulantes que aparecem a seguir no ranking” que tem LULA e Bolsonaro à frente, “Ciro e Moro, ambos” marcaram “2%“.

Os números indicam uma consolidação das preferências imediatas pelos dois líderes políticos [LULA e Bolsonaro], em uma espécie de antecipação do segundo turno, que fica ainda mais notória quando levados em conta os patamares na pesquisa estimulada“, diz o jornalista.

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.