Corrigimos nosso ‘racismo’: Estadão troca foto com mão de negro em matéria sobre ataque neonazista em escola após redes apontarem discriminação

O jornal disse que “uma versão anterior” do post usou “imagem inadequada”, mas foi “alertado” e corrigiu o “erro”. Perfis responderam que foi “racismo”

O jornal O Estado de S. Paulo respondeu que foi um “erro” a divulgação nas redes sociais uma foto de mãos de homem negro segurando uma arma para ilustrar matéria sobre o ataque neonazista em uma escola de Aracruz, no Espírito Santo.

A publicação feita neste sábado (26/11) refere-se ao assassino que foi preso. Um branco de 16 anos que usava símbolo nazistas. Seu pais é tenente da PM e já postou nas redes sociais a foto do livro Mein Kampf, escrito por Adolf Hitler, que na obra expressa suas ideias antissemitas.

Ataque a tiros em escola do ES: Por que ataques em escolas têm se repetido no Brasil?”, dizia a mensagem no tuíte feito pelo perfil oficial do Estadão, que compartilhou o link para a matéria no site. O jornal foi acusado de racista por usuários da plataforma, durante todo o dia de ontem, e foi um dos assuntos mais comentados.

Devido à repercussão, a mídia excluiu a postagem que tinhas as mãos de homem negro armado e escreveu:

Uma versão anterior deste post usou uma imagem inadequada para ilustrar a reportagem. Alertados por nossos leitores, trocamos a foto, corrigindo o erro”, escreveu o Estadão, que não foi desculpado pelos leitores. Veja abaixo.

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.