Começa a movimentação de tropas dos EUA preparadas para o ‘pior’ no Oriente Médio

07/01/2020 0 Por Redação Urbs Magna

Do THE NEW YORK TIMES via FOLHA DE SÃO PAULO – Soldados americanas no Iraque e Síria se preparam para ataques do Irã ou aliados e reforçam seus postos bases e aeródromos.

Soldado se prepara para entrar em ônibus e ser enviado ao Oriente Médio, em Fort Bragg, na Carolina do Norte – Travis Dove – 04.jan.20/The New York Times

Mais 4.500 militares foram enviados à região, que agora somam 54.500 e vão atuar como força defensora de bases e instalações americanas na região, além de reagir a possíveis ataques.

Outros 4.000 soldados começaram a ser despachadas ao Kuait, além do envio de paraquedistas e Marines para defender ou reforçar as defesas de embaixadas, consulados e bases militares dos EUA.

Uma guerra prolongada será travada mais por forças aéreas e navais, além de ciberataques, para atingir alvos iranianos ou alvos de forças apoiadas pelo Irã.

Navios da Marinha americana com 2.000 marinheiros estão se dirigindo ao Oriente Médio com mais 2200 marines. Entre 45 mil e 65 mil militares já estão estacionados na Arábia Saudita e outros países do Golfo Pérsico, incluindo 5.500 no Iraque e 600 na Síria.

Os equipamentos militares incluem aeronaves de detecção precoce, aviões de patrulha marítima, baterias de mísseis de defesa Patriot, bombardeiros B-52, um grupo de ataque aerotransportado, drones Reaper armados e outros militares de apoio e engenharia.

Cerca de 2.000 tropas americanas estão na Turquia, em sua maioria na base aérea de Incirlik, que os EUA continuam a usar como aeródromo.

A grande base de Al Udeid, no Catar, tem cerca de 10 mil tropas americanas. Ela é o QG das operações aéreas americanas na região e sedia uma frota de aviões de reabastecimento aéreo, além de aviões de reconhecimento e bombardeiros.

Soldados da divisão Airborne de Fort Bragg esperam para serem transportados ao Oriente Médio em Fort Bragg, na Carolina do Norte – Travis Dove – 04.jan.20/The New York Times

Leia mais na Folha.

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.