Com 33 milhões de brasileiros com fome, Bolsonaro quase zera verba de programas alimentares para 2023

Para Gleisi Hoffmann, é “tática” de quem “já sabe que vai perder” a eleição “e está deixando terra arrasada usando o povo”

Orçamento do governo Bolsonaro para 2023 quase zera recursos para programas de assistência alimentar. Cortes variam de 95% a 97%, diz reportagem no UOL. “Os atingidos pelos cortes serão principalmente pequenos agricultores e comunidades tradicionais, como quilombolas“, diz a matéria, que lembra dos mais de 30 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar no Brasil, fato que o presidente nega.

No final de agosto, Bolsonaro disse à Jovem Pan que ninguém vê “alguém pedindo pão no caixa da padaria“. O ocupante do Palácio do Planalto afirma que, se reeleito, o Alimenta Brasil será uma das prioridades de seu governo. Já LULA afirma, como disse na entrevista com William Waak, na CNN, que “você tem é que gerar empregos” e que “ninguém quer depender de auxílio por muito tempo“.

Para a presidente nacional do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), Bolsonaro sabe que será derrotado nesta eleição presidencial de 2022 e está usando o povo para prejudicar LULA em seu próximo governo:

Chega a ser inacreditável, Bolsonaro quase zerou a verba dos programas alimentares para 2023. Qual a tática? Já sabe que vai perder e está deixando terra arrasada usando o povo? São 33 milhões de brasileiros com fome!“, afirmou em seu perfil no Twitter.

Siga Urbs Magna no Google Notícias

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.