Chile, a lição da América

26/10/2019 2 Por Dino Barsa

Já dizia Ulisses Guimarães em uma de suas famosas frases, dentre tantas outras que se tornaram póstumas para a personificação daquele líder político, que “enquanto houver cachaça, samba, carnaval, mulata e campeonato de futebol, não haverá rebelião no Brasil.”

O Panis et Circencis sempre foi eficaz em todas as políticas de manipulação das massas. Mas no país banhado pelo Pacífico nem isso mais havia. O povo sucumbia de fome e miséria. Piñera exagerou em sua dose de neoliberalismo.

Telegram: Acesse e SIGA NOSSO CANAL

Após as ondas de protestos no Chile, que de início a imprensa do establishment tentou nos noticiar como um mero movimento insignificante contra aumento de passagens dos transportes públicos, o governo de Sebastián Piñera recuou e anunciou, de início, umas medidazinhas pra ver se colava. Não colou.

Os chilenos perceberam que não resolveria a vida de seus entes queridos, seus velhos se suicidando com aposentadorias achatadas, envergonhados de terem que ser sustentados por seus filhos e netos após tantos anos como seus orientadores e formadores. Não há futuro no Chile. O chileno percebeu isso. Imagine viver sem esperanças! Pois é assim que o povo sente.

O chileno decidiu que antes de morrer era preciso lutar, não há nada a perder haja vista que não há futuro. Ou se morre concordando com migalhas, ou se tenta lutar arriscando a vida. Alguns morreram lutando, mas morreriam do mesmo jeito se não fossem às ruas gritar por sua liberdade.

Deu no que deu: o Chile é hoje o exemplo da América. De grito de basta. De reação. “Parem de nos matar, somos gente, somos povo!” O chile está vencendo. O presidente está acuado. Uma nação tão importante quando o Chile não pode sucumbir sob suas mãos. E o povo quer mais.

Contudo, aqui no Brasil, o caminho poderia ser igual. Pois o modelo de economia chilena copiado pelo Bolsonarismo sucumbiu no Chile. É hora do bolsomínion enxergar isso. Se não ver é porque é lesado. Mas ainda ninguém está vendo. Parece que ninguém quer ver. Sabe por que?

Por enquanto o povo nem sabe o que acontece no Chile. Porque ainda tem cachaça, samba, carnaval, campeonato de futebol. Por isso não haverá rebelião no Brasil. E o político brasileiro sabe administrar bem isso. Porque “a única coisa que mete medo em político é o povo nas ruas“. – frase também de Ulisses Guimarães.

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.