Bolsonaro na ONU: Ataca Cuba, PT, Venezuela, França , puxa saco de Trump e diz que incêndios são fakes

25/09/2019 1 Por Redação Urbs Magna
Bolsonaro na ONU: Ataca Cuba, PT, Venezuela, França , puxa saco de Trump e diz que incêndios são fakes

No momento mais constrangedor da história diplomática do Brasil, Jair Bolsonaro fez um discurso que envergonha o País na abertura da Assembleia Geral da ONU


Segundo o presidente, a “ditadura cubana trouxe ao Brasil médicos sem comprovação médica”. Também disse: “trabalhamos com os EUA para a democracia ser restabelecida na Venezuela e para que outros países não experimentem este nefasto regime”

Apontado como um dos principais vilões globais, em razão da destruição da Amazônia, Jair Bolsonaro fala nesta terça-feira (24) na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), nos Estados Unidos.

Desde que chegou a Nova York, nesta segunda-feira (23), Bolsonaro foi alvo de protestos que pediam o fim do fascismo, a salvação para a Amazônia e liberdade para o ex-presidente Lula. Após desembargar, nem mesmo o presidente americano, Donald Trump, o recebeu, o que reflete o isolamento político do ocupante do Planalto.

Segundo o presidente, a “ditadura cubana trouxe ao Brasil médicos sem comprovação médica”.

“Verdadeiro trabalho escravo. Respaldado por entidades de direitos humanos”.

Ele também atacou a Venezuela e disse que o Brasil “sente os impactos” da “ditadura venezuelana”.

“Trabalhamos com os EUA para a democracia ser restabelecidade na Venezuela e para outros países não experimentem este nefasto regime”, disse.

Bolsonaro defendeu o “livre mercado”. Abertura é um dos objetivos imediatods do governo. “Estamos abrindo a economia e nos integrando à cadeias globais de valor”, acrescentou.

Ao falar sobre a Amazônia, Bolsonaro atacou “países com espírito colonislista”, em referência às críticas de nações europeias. “Clima seco favorece queimadas. Existem queimadas praticadas por índios”, complementou.

“A visão de um líder indígena não representa a visão de todos os índios brasileiros. Algumas pessoas de dentro e de fora apoiada por ONGs querem nossos índios como homens das cavernas”, continuou.

Boslonaro criticou o que chamou de “ambientalismo radical”, que, segundo ele, representa o “atraso”.

O jornalista George Marques afirma que o “discurso de Bolsonaro de cabo a rabo tem viés ideológico”. “Ataca Cuba, Venezuela, o socialismo. Não acrescentou nenhuma palavra de união ou conciliatória, apenas a divisão. Ainda saudou a ditadura e o golpe militar que marcou a história brasileira. Que vergonha para o Brasil”.

Discurso de Bolsonaro de cabo a rabo tem viés ideológico. Ataca Cuba, Venezuela, o socialismo. Não acrescentou nenhuma palavra de união ou conciliatória, apenas a divisão. Ainda saudou a ditadura e o golpe militar que marcou a história brasileira. Que vergonha para o Brasil.

— George Marques (@GeorgMarques) September 24, 2019

ASSISTA:

Anúncios