Bolsonaro mentiu sobre meio ambiente no discurso em Davos

23/01/2019 2 Por Redação Urbs Magna

Além de breve, o discurso de Jair Bolsonaro (PSL) no Fórum Econômico Mundial de Davos, nesta terça-feira (22), foi baseado em informações incorretas. “Somos o país que mais preserva o meio ambiente. Nenhum outro país do mundo tem tantas florestas como nós”, disse o presidente. No entanto, dados do Índice de Desempenho Ambiental (Environmental Performance Index – EPI), ranking bienal feito pelas Universidades de Columbia e Yale, que conta com apoio do próprio Fórum Econômico Mundial, mostrou que, entre 180 países, o Brasil ocupa a 69ª posição.

O relatório analisa a performance dos países com base em 24 indicadores de categorias sobre ações de proteção da saúde do meio ambiente e da vitalidade do ecossistema. Na verdade, a Suíça, país que sedia o encontro, é quem ocupa o primeiro lugar.

Ainda, em contradição com o que Bolsonaro afirmou, em 2016 o Brasil ocupava a 46ª posição no mesmo ranking. Ou seja, em dois anos, houve piora na proteção do meio ambiente no país.

O presidente ainda afirmou que “nenhum outro país do mundo tem tantas florestas como nós”. Porém, segundo dados do Banco Mundial, o país com a maior área florestal do mundo é a Rússia. O Brasil é o país com maior biodiversidade do mundo, segundo relatório do Ministério de Meio Ambiente para a Convenção de Diversidade Biológica da ONU. No entanto, segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação, de 1990 até 2015 o Brasil foi o país com maior taxa de desmatamento do mundo.

Contradições

Apesar de um discurso ao mundo que tentou destacar o meio ambiente, as primeiras iniciativas e propostas de Jair Bolsonaro em relação ao meio ambiente têm sido muito contrárias à ideia de preservação. O novo governo anunciou rever a Terra Indígena Raposa Serra do Sol; colocou na presidência da FUNAI um general que trabalhou recentemente para uma mineradora em conflito com indígenas; transferiu a identificação, delimitação e demarcação de terras indígenas e quilombolas para o Ministério de Agricultura; e colocou à frente do Ministério do Meio Ambiente, Ricardo Salles, réu acusado de descumprir leis ambientais e manipular mapas de manejo ambiental do rio Tietê, em São Paulo.

Bolsonaro foi o primeiro chefe de Estado latino-americano a discursar na abertura do Fórum, que reúne cerca de 250 autoridades do G20, que reúne as vinte principais economias do mundo.

Et Urbs Magna via Sul 21

Receba nossas atualizações direto no seu WhatsApp – Salve nosso número em sua agenda e envie-nos uma mensagem – É GRÁTIS – ACESSE AQUI

Doe ao Et Urbs Magna

𝙲𝙾𝙽𝚃𝚁𝙸𝙱𝚄𝙰 𝚌𝚘𝚖 𝚘 𝚅𝙰𝙻𝙾𝚁 𝚀𝚄𝙴 𝙳𝙴𝚂𝙴𝙹𝙰𝚁 (O valor está expresso em Dólar americano) Para alterar o valor a contribuir, basta alterar o MULTIPLICADOR na caixa correspondente 𝐀 𝐩𝐚𝐫𝐭𝐢𝐫 𝐝𝐞 𝐔𝐒𝐃 $ 5 até o limite que desejar

$5.00


Comente