Bolsonaro mentiu muito no Flow e, sobre o sigilo de 100 anos, disse que não deve satisfação a ninguém

O presidente foi entrevistado pelo programa, nesta segunda, e agências de checagem o enquadraram nas fake news

O presidente Jair Bolsonaro (PL) repetiu mentiras sobre as vacinas e as urnas, nesta segunda-feira (8/8), durante entrevista ao Flow Podcast. Sobre o sigilo de 100 anos que seu governo passou a decretar, o atual ocupante do Palácio do Planalto disse que não deve satisfação a ninguém. Agências de checagem pegaram o presidente nas Fake News, como mostrou, por exemplo, jornalistas Amanda Ribeiro, Luiz Fernando Menezes e Priscila Pacheco, do Aos Fatos:

Bolsonaro “repetiu mentiras e distorções sobre uma ampla gama de temas, do golpe militar de 1964 à eleição de 2018. Ao contrário do que disse o mandatário, cópias do Diário do Congresso Nacional da sessão de 2 de abril de 1964 não foram incineradas após decisão de 2013. Ele também afirmou que se elegeu presidente sem usar dinheiro do Fundo Eleitoral – o que é falso“.

Já o UOL Confere constatou que Bolsonaro repetiu as mesmas mentiras que costuma dizer em lives semanais e discursos públicos, entre temas como vacinas contra covid-19, colapso hospitalar de Manaus, processo eleitoral, segurança pública e o uso da cloroquina, que ele continua defendendo.

Sigilo de 100 anos

“Não é um decreto ditatorial meu. A lei me garante isso, o que a imprensa começou a perturbar. Eu tenho a minha agenda que é pública lá no Palácio da Presidência. Se for me visitar, tá lá. Aí começaram a querer ter acesso a quem ia me visitar no Alvorada. E de acordo com as pessoas que me visitam no Alvorada, a imprensa faz uma matéria sobre aquilo. Quem eu recebo na minha casa, eu não devo satisfação a ninguém”, afirmou Jair Bolsonaro (PL) sobre o sigilo de 100 anos que desde o ano passado o governo federal passou a decretar devido à opinião do presidente, de que sua vida seria um “inferno”.

“Se hoje eu abrir que o João da Silva com a dona Mariazinha me visitar, na semana que vem, vou abrir de novo. Eles fazem narrativas, matérias em cima disso”, disse Bolsonaro sobre a imprensa. “Quantas vezes eu recebo lá o ministro da Defesa, comandante da Marinha, ministro tal, secretário tal, se vou no G20, na Cúpula das Américas, na posse do presidente do Chile ou não, entre outros assuntos confidenciais”, afirmou.

Siga Urbs Magna no Google Notícias
Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.