Bolsonaro lidera votação da TIME ‘Person of the Year’. Trump aparece em segundo

23/11/2021 0 Por Redação Urbs Magna
Bolsonaro lidera votação da TIME ‘Person of the Year’. Trump aparece em segundo

Prints dos candidatos a Personalidade do Ano de 2021, da revista de notícias americana TIME, mostram que o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, lidera votação no portal da mídia, com 70% de indicações | imagem reprodução TIME


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

Vote na pessoa ou grupo que teve a maior influência no ano – para melhor ou pior“, orienta a revista de notícias americana

O presidente Jair Bolsonaro está liderando a votação para escolha da Personalidade do Ano de 2021, da revista de notícias americana TIME, com 70% dos votos, e o ex-presidente dos EUA, Donald Trump, é o segundo mais votado, com 35%. Como a revista orienta, o usuário deverá votar “na pessoa ou grupo que teve a maior influência no ano – para melhor ou pior“.

Veja a lista dos 7 mais votados:

  1. 70% – Jair Bolsonaro, presidente do Brasil
  2. 35% – Donald Trump, ex-presidente dos EUA
  3. 34% – Grupo ‘Profissionais de Saúde da Linha de Frente’
  4. 29% – Alexei Navalny, ativista russo anticorrupção
  5. 29% – Britney Spears, cantora e compositora dos EUA
  6. 28% – Grupo ‘Cientistas de Vacinas’
  7. 20% – Elon Musk, CEO da Tesla e Space X

O jornalista Guilherme Amado, do Metrópoles, afirmou que Bolsonaro, que é o único brasileiro de uma lista de 60 nomes, aparece na liderança devido a uma força-tarefa montada em grupos bolsonaristas no aplicativo Telegram.

Mas os editores da TIME apenas lançam os nomes na plataforma da mídia sem que os ‘eleitores’ possam justificar suas escolhas. Apenas as opções ‘Yes’ ou ‘No’ processam os votos.

“Revelaremos a Personalidade do Ano de 2021, escolhida pelos editores da TIME, em 8 de dezembro”, explica o portal. Volte para descobrir o vencedor da votação entre os leitores no início de dezembro“.

Portanto, caso Bolsonaro vença, a justificativa para a escolha será da revista e o resultado pode surpreender e não agradar os seguidores do presidente brasileiro dos grupos do aplicativo de mensagens.

Comente