Bolsonaro: “Glenn, malandro, casa com outro malandro pra não ser expulso do Brasil” – presidente diz a STF que, na afirmação, não cometeu ilícito

03/02/2020 1 Por Redação Urbs Magna
Compartilhe

Bolsonaro respondeu a uma interpelação de Glenn Greenwald afirmando que não cometeu ilícitos ao chamá-lo de “malandro” por casar com brasileiro e adotar crianças.

Isso ocorreu em julho do ano passado, quando o presidente afirmou que Glenn não seria atingido por portaria que previa expulsão de “pessoas perigosas do Brasil”.

“Até porque ele é casado com outro homem e tem meninos adotados no Brasil. Malandro para evitar um problema desse casa com outro malandro ou adota criança no Brasil”, disse Bolsonaro na época.

Rosa Weber disse que deveBolsonaro esclarecer “expressões caracterizadas por dubiedade, equivocidade ou ambiguidade”.

Mas Bolsonaro, bem do seu jeito, disse que está tranquilo pois de suas declarações “não se pode inferir a imputação de qualquer crime, tampouco o intuito de ofender a honra alheia, motivo pelo qual não devo responder por quaisquer das condutas previstas” na lei, como injuria ou difamação.

Bolsonaro afirmou ainda que o discurso que fez é político, “sem qualquer conteúdo ilícito, o qual não se enquadra em qualquer conduta prevista no Código Penal”. 

O presidente disse ainda que fez as declarações baseado no direito constitucional de livre manifestação do pensamento.

Com informações de Mônica Bergamo

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.
Compartilhe