Bolsonaro é ‘persona non grata’ no Chile, após Onyx dizer que ‘banho de sangue’ antecedeu fixação de bases econôminas no país

22/03/2019 1 Por Redação Urbs Magna

Fala de Onyx sobre Pinochet aumenta resistência a Bolsonaro no Chile – Ministro disse que houve “banho de sangue”, mas bases econômicas foram fixadas. Parlamentares querem presidente “persona não grata” no país.

Enviada especial a Santiago (Chile) – Aumentaram os protestos de parlamentares chilenos contra a visita do presidente da República brasileiro, Jair Bolsonaro (PSL), ao país. Agora, as mobilizações são reforçadas por uma declaração do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS). Em entrevista à rádio BandNews FM, Onyx justificou a ditadura chilena, comanda pelo general Augusto Pinochet entre 1973 e 1990.

“O Chile teve que dar um banho de sangue. O sangue lavou as ruas do Chile, mas as base macroeconômicas fixadas por aquele governo… passaram oito governos de esquerda e nenhum mudou as bases macroeconômicas colocadas no Chile por Pinochet”, disse o ministro da Casa Civil brasileiro.

O presidente do Senado chileno, Jaime Quintana, afirmou: “Isso é uma ofensa não só à oposição chilena e às vítimas da ditadura, mas ao país inteiro”. Ele já havia dito considerar Bolsonaro “um perigo para a democracia regional” e, por isso, declinou do convite para almoço oferecido no sábado (23) pelo presidente chileno, Sebastián Piñera, em homenagem ao colega brasileiro.

Reação semelhante teve o presidente da Câmara dos Deputados do Chile, Iván Flores, depois da frase de Onyx Lorenzoni: ele também vai boicotar o almoço a Bolsonaro e declarou publicamente seu repúdio à fala do ministro brasileiro. “É uma afronta a todos que perderam parentes e aos que sofreram violações de direitos humanos. É um desatino”, disse Flores.

Outros parlamentares de esquerda e centro esquerda se manifestaram contra a presença do presidente no país. Um grupo de deputados apresentou um projeto de resolução para que ele seja declarado “persona non grata” no Chile. A deputada Carmen Hertz disse que “ir a um almoço com Bolsonaro seria como assistir a um almoço com Hitler em 1936”.

Ao criticar o “dresscode” do jantar, um jornal chileno publicou a foto do presidente da República com um uniforme nazista.

A Juventude Comunista e organizações de defesa dos direitos humanos convocaram um protesto para esta sexta-feira (22/3) à tarde, nas ruas próximas à reunião de cúpula de chefes de Estado da América do Sul, que ocorrerá no histórico Palácio de La Moneda, em Santiago. Sede do governo chileno, o prédio histórico foi bombardeado durante o golpe de estado comandado por Pinochet. O então presidente Salvador Allende morreu dentro do palácio.

ProSul
A discussão sobre a ditadura chilena acontece no momento em que Sebastián Piñera articula um novo bloco regional, chamado até o momento de ProSul e que substituiria a União das Nações Sul-Americanas (Unasul), órgão criado há quase 10 anos por inspiração de dois antigos dirigentes de esquerda no continente, os ex-presidentes do Brasil Luiz Inácio Lula do Silva e da Venezuela Hugo Chávez.

O atual chefe do Executivo federal brasileiro disse que “a Unasul já morreu, só faltou enterrarem”. Seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara, afirmou que o ProSul será um “alinhamento da América do Sul à direita”. O parlamentar acompanhou o pai aos Estados Unidos e também integra a comitiva brasileira em Santiago.

Além de Piñera, outro grande incentivador do ProSul é o presidente da Colômbia, Ivan Duque. “O ProSul será uma instância de diálogo, de integração, sem ideologização”, afirmou o colombiano. Para Piñera, o foro servirá para “dialogar, colaborar, compartilhar ideias, buscar acordos que permitam que a voz da América do Sul seja escutada com mais força”.

Até esta quinta-feira estavam confirmadas as presenças dos presidentes e/ou chanceleres de oito países na reunião em Santiago. A cúpula deverá divulgar uma posição sobre a crise da Venezuela, que teve mais um capítulo com a prisão de Roberto Marrero, braço-direito de Juan Guaidó, opositor do presidente Nicolás Maduro, nesta quinta-feira.

Veja imagens do presidente Bolsonaro no Chile:

bolsonaro no chile
bolsonaro faz live no chile
bolsonaro concede entrevista no chile
bolsonaro hotel no chile
bolsonaro no chile2
Jair Bolsonaro chegando ao Chile
bolsonaro revista às tropas chile
bolsonaro no chile4
bolsonaro concede entrevista ao desembarcar no chile
bolsonaro no chile3

Dino Barsa para o Et Urbs Magna via Metrópoles

Receba nossas atualizações direto no seu WhatsApp – Salve nosso número em sua agenda e envie-nos uma mensagem – É GRÁTIS – ACESSE AQUI

Doe ao Et Urbs Magna

𝙲𝙾𝙽𝚃𝚁𝙸𝙱𝚄𝙰 𝚌𝚘𝚖 𝚘 𝚅𝙰𝙻𝙾𝚁 𝚀𝚄𝙴 𝙳𝙴𝚂𝙴𝙹𝙰𝚁 (O valor está expresso em Dólar americano) Para alterar o valor a contribuir, basta alterar o MULTIPLICADOR na caixa correspondente 𝐀 𝐩𝐚𝐫𝐭𝐢𝐫 𝐝𝐞 𝐔𝐒𝐃 $ 5 até o limite que desejar

$5.00


Comente