Bolsonaro adota tom conspiratório sobre AEROCOCA e fala em “coincidência”

28/06/2019 0 Por Redação Urbs Magna

Em live semanal, Bolsonaro evitou comentar sobre caso de militar preso por tráfico de drogas e apenas reclamou de “coincidência” com sua viagem

Em live semanal no Facebook, o presidente Jair Bolsonaro comentou diretamente do Japão, na noite desta quinta-feira (27),  o escândalo do sargento da Aeronáutica preso com 39 kg de cocaína em avião da FAB que fazia parte da comitiva presidencial. Bolsonaro reforçou argumento do general Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (CGI), de que é coincidência o caso acontecer em viagem do G-20.

“Muita coincidência acontecer no dia anterior a nossa viagem”, afirmou Bolsonaro enquanto general Heleno se explicava de uma declaração dada a jornalistas em que avaliou a coincidência do caso como ““falta de sorte”.

“Eu disse que é falta de sorte que isso tenha acontecido na hora de uma reunião como o G-20. Não disse que ele teve falta de sorte, mas que a data foi ruim em coincidir”, declarou Heleno, reafirmando a polêmica frase.

Visivelmente tensos, os dois não avançaram muito sobre o tema e apenas deixaram no ar um possível caráter conspiratório. O sargento Manoel Silva Rodrigues, eleitor declarado de Bolsonaro, participa do Comando da Aeronáutica e de comitivas presidenciais desde 2016. Segundo a FAB, que não quis explicar métodos de segurança, não há ocorrências anteriores com o militar detido.

Posted by Jair Messias Bolsonaroon Thursday, June 27, 2019

via Revista Fórum