Boff relembra frase do ‘inimigo da vida’: “Não pretendemos construir coisas para o povo”

05/12/2021 0 Por Redação Urbs Magna
Boff relembra frase do ‘inimigo da vida’: “Não pretendemos construir coisas para o povo”

O presidente Jair Bolsonaro na ocasião de um jantar realizado entre conservadores, em Washington, nos EUA, em março de 2019, em imagem reprodução do Twitter. Ao lado, o teólogo Leonardo Boff | Sobreposição de imagens


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

Após a ‘sentença’ [ambígua], proferida em jantar nos EUA, em 2019, o “amigo do vírus” acrescentou que “nós temos é que desconstruir muita coisa; desfazer muita coisa”

Lembrem o que [o] amigo do vírus e inimigo da vida declarou, num jantar aos mais reacionários dos USA“, disse o teólogo Leonardo Boff em seu perfil no microblog Twitter, antes de reproduzir a fala, a que se referiu, do então recém-empossado [pouco mais de dois meses] presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

Boff transcreveu, em seu tuíte, a sentença [linguística] que mais tarde seria esquecida, ou sequer foi notada, na ocasião, pela maioria dos brasileiros, que já são famosos por conta de uma memória política insuficiente:

O Brasil não é um terreno aberto onde nós pretendemos construir coisas para o nosso povo. Nós temos é que desconstruir muita coisa. Desfazer muita coisa”.

A inacreditável frase foi reproduzida em matéria do Valor Econômico, em 18/03/2019, conforme indicou Boff em sua observação analítica sobre as causas e origens de temas de interesse nacional não mencionados, mas que ficaram implícitos no tuíte do teólogo.

Uma seguidora de Boff acrescenta que Bolsonaro ainda disse que não sabe se teria “tempo de reconstruir“, deixando claro que a desconstrução ainda está em fase ativa.

Veja abaixo e leia mais a seguir:

De acordo com a matéria a que o teólogo se referiu, o jantar teve a presença de lideranças conservadoras em Washington (EUA).

Bolsonaro aparece na imagem ao lado do autodeclarado filósofo que ficou conhecido como o guru do bolsonarismo, Olavo de Carvalho, e do ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que dias antes do encontro em questão foi classificado como o pior chanceler do mundo pelo professor da Brown University, André Pagliarini.

No jantar, Bolsonaro disse, de acordo com a transcrição da matéria do site, que “o sentido de seu governo não é construir coisas para o povo brasileiro, mas desconstruir. Depois dessa etapa, na sua visão, é que chegaria o momento de começar a fazer algo pelo país“.

O Brasil não é um terreno aberto onde nós pretendemos construir coisas para o nosso povo. Nós temos é que desconstruir muita coisa. Desfazer muita coisa. Para depois nós começarmos a fazer. Que eu sirva para que, pelo menos, eu possa ser um ponto de inflexão, já estou muito feliz”, afirmou, de acordo com o Valor.

A mídia noticiou que “na avaliação de Bolsonaro, “o nosso Brasil caminhava para o socialismo, para o comunismo”, mas esse processo foi interrompido com a sua vitória eleitoral – “um milagre”, definiu”.

Um vídeo com trecho do discurso do presidente foi postado no Twitter pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), um de seus filhos“, escreveu a redação.

Veja abaixo e leia mais a seguir:

No mesmo discurso, Bolsonaro disse que estava sentindo-se “quase que em casa”. Ele falou que sempre teve admiração pelo povo americano e que os Estados Unidos sempre lhe serviu de exemplo”, disse o Valor.

No evento ele fez uma deferência especial ao filósofo e professor Olavo de Carvalho, que estava sentado ao seu lado no jantar. Disse que foi um de seus grandes inspiradores e de muitos jovens no Brasil. “Em grande parte, devemos a ele a revolução que estamos vivendo”.

Comente